Esporte

Foto: Divulgação

O anúncio de que a Prefeitura de Palmas através da Fundação de Esportes do município vai cobrar taxas para utilização do Estádio Nilton Santos já causa descontentamento e dúvidas no meio esportivo. O estádio foi cedido pelo Estado para a administração da prefeitura da capital. A prefeitura não divulgou ainda o valor das taxas e todas as informações serão detalhadas em decreto que está sendo preparado para a Fundesportes.

A intenção da Prefeitura é reverter as taxas para manutenção do estádio e pagamento das despesas com o local.

Ouvido pelo Conexão Tocantins o secretário estadual de Esportes, Salim Milhomem afirmou que vai conversar com o prefeito Carlos Amastha (PP) para solicitar informações sobre tal pretensão. Ele disse que não tem ainda nenhuma informação oficial sobre o assunto. “A posição que temos é que o estádio está cedido ao município, a responsabilidade é do município, vou conversar com o Amastha”, disse.

Segundo o secretário, no Tocantins os clubes amadores ainda dependem muito do poder público e as empresas que patrocinam futebol são poucas. “Tem que ver o lado dos clubes, o futebol ainda tem muito o que evoluir e os clubes não tem condições de pagar taxas para jogar”, disse.

O Sindicato dos Profissionais em Educação Física, Sinpef, comandado por Luciano Lucas, também já se colocou contra a cobrança para eventos esportivos. A entidade defende que o estádio seja aberto para a comunidade. O presidente da Fundação de Esportes, Tenente Cleyton Alen falou sobre o assunto ao Conexão Tocantins e garantiu, com relação ao questionamento do Sinpef, que a categoria não será prejudicada. “Os profissionais do educação física não serão prejudicados com a medida”, disse.

Clyton Alen deixou claro as intenções da prefeitura: “ Estamos fazendo isso para que o estádio não continue sendo um elefante branco. Em qualquer lugar do Brasil é cobrado taxas, é bom para a população que terá um espaço bem cuidado”, frisou. O presidente frisou ainda que o dinheiro das taxas será destinado ao Fundo Municipal de Esportes para manutenção do estádio principalmente nos eventos não esportivos e que a gestão do espaço ocorre de maneira compartilhada com o Estado.

Deputado critica

Um dos deputados estaduais que defende a área do Esporte, José Bonifácio (PR) criticou a intenção da prefeitura. “A Prefeitura de Palmas não elegeu um prefeito e sim um cobrador de tributos, é taxa pra todo lado: taxa de estacionamento, taxa de esporte. Ele deveria ter vergonha de gastar mais de R$ 7 milhões com pseudos eventos esportivos com várias associações porque isso para mim foi só lavagem de dinheiro. Não dá para engolir”, acusou. O deputado defende ainda que o Estado retome a posse do Estádio Nilton Santos, pois, segundo ele, a cessão aconteceu em período proibido pela lei. “Essa foi mais uma das aberrações praticadas pelo governo que saiu, mas acho que a PGE (Procuradoria Geral do Estado) deveria tomar providências e retomar o que é do Estado. Foi feita cessão num momento proibido, foi feito a partir de MP (Medida Provisória) que não deu caráter de relevância e a medida perdeu a eficácia, isso aí é anulável assim como os benefícios concedidos aos servidores no período vedado”, defendeu.