Polí­tica

Foto: Divulgação

O senador Ataídes Oliveira (PSDB/TO) alertou nesta terça-feira (10), para a queda expressiva da poupança interna, que teve no mês passado o pior resultado dos últimos 20 anos, com as retiradas superando em R$ 6,26 bilhões os depósitos. Em janeiro, o resultado já havia ficado negativo em R$ 5,5 bilhões. “É um grave risco ao País, já que sem poupança não podemos realizar investimentos, principalmente nas obras de infraestrutura que tanto precisamos para aumentar a competitividade da economia brasileira”, argumentou o senador, em discurso no Plenário do Senado.

Para Ataídes, as famílias estão com os seus orçamentos domésticos no limite e estão tendo que sacar dinheiro de suas economias para pagar as contas do fim do mês. “Estão sacrificando o seu futuro para poder pagar as escolas de seus filhos e honrar as suas dívidas do presente”, lamentou o senador.

Ele frisou que a taxa de poupança doméstica já tem um nível muito baixo no Brasil, cerca de 13% do PIB, e que os investidores externos foram afugentados pelo governo Dilma, por conta de um ambiente de extrema insegurança jurídica. “Não há mais confiança para investimentos de longo prazo na economia brasileira. E, agora, o país encontra-se refém de especuladores de curto prazo, que exigem taxas altíssimas para financiar o rombo do governo”, afirmou. 

Irresponsabilidade

“O barco chamado Brasil perdeu o leme e estamos completamente à deriva no alto mar. Estamos perigosamente perto das rochas”, destacou o senador Ataídes Oliveira. A presidente, segundo ele, perde governabilidade dia após dia, e “está completamente fora da realidade e desconectada do que está ocorrendo nas ruas”, insistindo em culpar fatores externos pelo seu desastroso governo e suas próprias escolhas erradas.

Para o senador, a população brasileira, castigada pela recessão e pela escalada da inflação, “não merece pagar a conta pela irresponsabilidade do governo”, que destruiu o tripé macroeconômico que garantiu a estabilidade do país.  “Esse barco, chamado Brasil, precisa urgentemente de novo timoneiro”, concluiu Ataídes.