Educação

Foto: Luiz Melhcíades

O Banco Mundial vai destinar R$ 22,4 milhões ao Programa Estrada do Conhecimento (PEC), que tem o objetivo de promover Educação efetiva e integral, com inclusão social de crianças, adolescentes e jovens em situação de vulnerabilidade social em municípios às margens da BR-153.

O anúncio foi feito por uma missão do Banco Mundial recebida nesta quarta-feira, 08, pelo secretário de Estado da Educação, Adão Francisco de Oliveira, e por uma equipe técnica da pasta, na sede da Seduc. O encontro marcou o início da programação de reuniões que serão realizadas durante toda a semana para garantir novas parcerias e renovar o financiamento de projetos educacionais já existentes no Tocantins.

Como parte do PEC, a Seduc apresentou novas ações que serão executadas no estado, entre elas, um estudo piloto da qualidade do ensino da educação infantil, uma pesquisa piloto com base na metodologia do uso do tempo em sala de aula, reforma e ampliação de unidades escolares e a formação de professores. 

O secretário da Educação afirmou que o Estado vai cumprir todas as exigências do banco para acelerar o processo de execução dos projetos já firmados, e apresentar novas propostas voltadas para educação integral e humanizada. “Essa missão é importante para a gente tornar mais claras as áreas onde o banco pode intervir e concentrar recursos e acima de tudo para firmar novas”, destacou.

Para assessor técnico do Banco Mundial, Leandro Costa, o Tocantins só tem a ganhar com as parcerias firmadas, mas é preciso implementar e reavaliar as ações em andamento, bem como os novos projetos. “Nos próximos seis meses nós vamos avaliar todos os itens dos programas já existentes, e após esse trabalho, serão tomadas todas as providencias para acelerar a execução dos mesmos. Se conseguirmos executar essas atividades, o Tocantins será referencia para o mundo”, reforçou.

O secretário Adão Francisco explicou que a Seduc já possui um mapa da desigualdade sócio-educacional do Estado e garantiu que o estudo vai subsidiar a implementação dos projetos firmados entre a secretaria e o Banco. “A pesquisa vai nortear as ações da secretaria, principalmente no que diz respeito a desigualdade socioeconômica, os índices de escolarização, evasão e reprovação dos estudantes. A partir desses dados vamos conseguir minimizar as condições de vulnerabilidade social dos alunos e ao mesmo tempo garantir a execução com sucesso dos nossos projetos”, concluiu. 

O programa também prevê a ampliação e reforma de algumas unidades escolares nos municípios de Aliança do Tocantins, Aguiarnópolis, Barrolândia, Pugmil, Colinas do Tocantins e Wanderlândia. (Ascom Seduc)