Polí­tica

Foto: Divulgação

O deputado estadual Wanderlei Barbosa (SD) continuou artilharia contra a Prefeitura de Palmas nesta quarta-feira, 15, na Assembleia Legislativa após ter sido atacado novamente por vereadores da capital principalmente pelo adversário político Major Negreiros (PP). “Partiram para a baixaria. Como se eu fosse alguém que fosse debater no campo da porrada. Me parece que o comportamento é de alguém que se sentiu prejudicado”, disse sem citar o nome do vereador Major Negreiros que chegou a provocá-lo na Câmara de Palmas com a frase: “peita em mim!”. Segundo Barbosa, o vereador chama para briga porque falta a ele argumento.

O deputado fez uma grave denúncia contra a Prefeitura de Palmas e a Fundação Municipal de Esportes da capital. Ao mostrar dados do Portal da Transparência ele revelou que entidades do município de Bom Lugar/MA, receberam R$ 801 mil da Prefeitura de Palmas há quatro dias das eleições estaduais do ano passado. “Quem está dizendo é o Portal da Transparência, não estou fazendo acusação,estou querendo saber. O prefeito tem que prestar conta. O que aconteceu em Bom Lugar município de 14 mil habitantes na véspera da eleição estadual?”, disse ao chamar atenção à justiça eleitoral.

Um dos convênios, segundo o deputado, é entre  uma associação de artes marciais através da Fundesportes para despesas de materiais de consumo, serviços de terceiros no dia 1º de outubro do ano passado no valor de R$ 450 mil. No dia 3 de outubro, às vésperas das eleições, um fornecedor de Bom Lugar recebeu através de uma Associação através do projeto “Buscando a Felicidade” mais de R$ 300 mil, segundo disse o deputado.

Wanderlei citou que o prefeito apoiou dois candidatos para deputado estadual e federal na eleição passada. “Espero tudo dessa gestão, mas espero também que consigam justificar esses gastos em Bom Lugar no Maranhão!”, disse. Outro questionamento do deputado é com relação ao gasto de R$ 250 mil, segundo ele, para a Corrida de 25 anos de Palmas, uma meia maratona, com estrutura pequena “ Estou surpreso com o que acontece!”, disse.

O deputado disse que a gestão da Fundesportes precisa passar por uma quebra do sigilo financeiro e bancário. “As federações não receberam recursos, estão fazendo montagens nas prestações de contas”, disse ao adiantar que vai entrar no Ministério Público Estadual (MPE).

O deputado ainda devolveu o apelido de “pra nada” que recebeu de alguns vereadores. “Pra nada é aquele que deixa roubar dinheiro público, esses são pra nadas!”, disse, ao reafirmar que não iria baixar o nível para responder vereadores.

O deputado Eli Borges (Pros) foi solidário a Wanderlei. “Se a Câmara o atacou eu simplesmente acho que esse cidadão não foi feliz e não está preparado para ser homem público”, disse ao se referir a Negreiros.