Polí­tica

Foto: Divulgação

Abril chegou e com ele as articulações começam a se intensificar para o chamado troca-troca de partidos. O prazo vai até um ano antes das eleições do próximo ano e pré-candidatos a vereadores e prefeitos já se movimentam para escolher legendas.

Por outro lado os partidos começam a cooptar novos filiados de olho nas cadeiras na Câmara Municipal, mas também para a opção majoritária, nos cargos de prefeito e vice-prefeito. Alguns partidos já iniciaram suas campanhas de filiações partidárias, já que os pretensos candidatos em 2016 precisam estar filiados regularmente em até 1 ano antes do início da campanha eleitoral.

Alguns vereadores  e deputados estaduais descontentes já começam a procurar novos partidos para a próxima disputa eleitoral e o mais cotado deles é o PL-Partido Liberal. O Estado consegui arrecadar mais de 15 mil assinaturas para a criação do partido. O PL existiu até 2006 quando se fundiu com o Prona do ex-deputado Eneas Carneiro. Se criada a legenda será a 33ª do País.

 No Tocantins as movimentações tem à frente o empresário Diogo Fernandes, que afirmou ao Conexão Tocantins que a legenda já nascerá forte.

Nesta terça-feira, 21, ele afirmou que aguarda julgamento do TSE para algumas ações de impugnação ingressadas por outros partidos. “ A procura está grande, temos mais de 80 comissões já interessadas para ser abertas e vários mandatários, deputados estaduais e inclusive vereadores da capital que devem vir para o partido”, revelou.

Muitos prefeitos do Estado também estão de olho para ver se o PL sairá. O próprio presidente da Associação Tocantinense de Municípios, ATM, João Emídio está sem partido e neste mesmo cenário estão muitos anos.

A escolha dos novos partidos é determinante para pretensos candidatos como o ex-prefeito de Palmas, Raul Filho e ainda o ex-deputado estadual, Sargento Aragão, ambos sem legenda definida e com interesse em disputar a prefeitura de Palmas. Raul tem tendência a se filiar no PR e o Aragão já chegou a cogitar ir para o partido nanico, o PMN porém disse que deve definir até o mês de junho seu novo destino partidário.

Por: Redação

Tags: Eleição 2016, Partido Liberal