Estado

Foto: Divulgação

Após ouvir o superintendente do Dnit, Eduardo Suassuna na tarde desta última quarta-feira, dia 29, membros do movimento que luta pelo retorno das obras da BR-010 garantem que realimentaram a esperança de ver a estrada construída em breve. O grupo ouviu do superintendente que os projetos para o reinício da obra estão encaminhados, e para sua efetivação, só depende da manutenção do recurso orçamentário, já aprovado e sancionado pela presidenta Dilma.

Apesar do otimismo de Suassuna, o movimento espera a divulgação pelo Governo Federal de um decreto com cortes no Orçamento deste ano. “Não se sabe se o recurso destinado à BR será incluído no documento ou se será preservado”, avalia o movimento.

De acordo com o superintendente, tanto o Dnit e o Ministério dos Transportes, já fizeram a parte técnica que deveria ser feita para garantir o retorno da obra, só depende agora do Governo. A bancada federal do Estado vem se empenhando para garantir o recurso no orçamento, postura que também anima o movimento.

O superintendente disse que esteve na semana passada, junto ao Dnit nacional em Brasília, tratando exclusivamente da BR-010. Ele garantiu ainda, que entre os dias 11 e 15 de maio um representante do órgão no Distrito Federal, vem ao Tocantins, para percorrer o trecho da federal onde está previsto as primeiras construções.

“Foi estimuladora e otimista as colocações de Suassuna, temos ainda a incerteza, se a verba será mantida ou não, mas vamos continuar com as ações visando a garantia do benefício”, destacou o movimento.

Outra informação positiva dada pelo representante do órgão federal é que será renovado o contrato, por mais um ano, com a construtora EHL, que faz a manutenção da 010, entre aparecida e Rio Sono, e com a empresa Ética que conserva o trecho, entre Santa Maria e Goiatins. Os referidos contratos tinham duração de dois anos e vencem respectivamente em 2015 e 2016.

Reuniram com o superintendente os coordenadores do Pró-BR, Elpídio Ferreira Lopes, Fernando Galvão, Paulinelli Nunes, o ex-vice-prefeito de Pedro Afonso, Coronel Dimi, o ex-prefeito de Jaú do Tocantins, João Luiz e o empresário e fazendeiro Heleno Prado.