Campo

Foto: Lenito Abreu

O período de vacinação contra a febre aftosa termina no dia 31 de maio, próximo domingo. A vacinação é obrigatória para todos os bovídeos (bovinos e bubalinos) indiferente da faixa etária. O produtor rural tem até 10 dias para declarar o ato nas unidades da Agência de Defesa Agropecuária (Adapec), onde a ficha cadastral é movimentada, munido da nota fiscal de compra da vacina e da carta-aviso. Nesta etapa, que iniciou no dia 1º de maio, devem ser vacinados mais de oito milhões de bovídeos (bovinos e bubalinos) existentes no Tocantins.

No Estado são realizadas duas campanhas anuais, nos meses de maio e novembro. Na primeira etapa de maio são vacinados todos os bovídeos, na segunda etapa somente os animais com até 24 meses de idade. “O produtor rural deve ficar atento ao calendário e vacinar o rebanho na época certa para garantir a saúde do animal e o fortalecimento da nossa economia”, ressalta o presidente da Adapec, Humberto Camelo.

Para o produtor rural que deixar de vacinar o rebanho a multa é R$ 5,32 por cabeça e R$ 127,69 por propriedade não declarada. Além disso, fica impedido de emitir a Guia de Trânsito Animal (GTA), documento obrigatório para acompanhar os animais comercializados ou movimentados da propriedade. “Possuímos o cadastro de todos os criadores, e assim que encerrar a campanha é possível identificar os faltosos”, disse a responsável pelo Programa Estadual de Erradicação da Febre Aftosa, Regina Barbosa.            

Regina Barbosa disse ainda que na oportunidade da declaração está sendo feito o recadastramento de vizinhos confrontantes de cada propriedade rural existente e o cadastramento de criatório de suídeos. “Pedimos que os produtores não deixem pra última hora, para evitarem tumultos”, destaca.

Por: Redação

Tags: Adapec, Humberto Campelo, Regina Barbosa, campo