Saúde

Foto: Divulgação

Os primeiros ventos anunciam à chegada do tempo seco no Tocantins. Nesta época do ano, a mudança do tempo faz aumentar os casos de olho seco e conjuntivite, que é a inflamação na membrana conjuntiva que cobre o olho e a superfície interna das pálpebras.

De acordo com o oftalmologista Juliano Perfeito, da Clínica de Olhos Yano, já é possível perceber um aumento significativo de pacientes com o problema. “Os casos se tornaram muito frequentes, pois a mudança propicia um ambiente para a proliferação de vírus, bactérias e fungos. No ápice da secura, a conjuntivite pode até virar epidemia”, alerta o oftalmologista.

O oftalmologista lembra que a conjuntivite pode ser viral, bacteriana ou alérgica. “Os primeiros tipos de infecção são contagiosas, e podem ser transmitidas, por exemplo, pelas mãos ou algum objeto . Já a conjuntivite alérgica é sazonal, e pode ocorrer por fatores como poluição do ar, fumaça de cigarro, etc”, explica.

Sintomas

Entre os principais sintomas da conjuntivite estão coceira, ardência, olhos vermelhos, fotofobia (sensibilidade à luz), inchaço das pálpebras e secreção nos olhos, que pode ser desde aquosa até purulenta conforme a causa da conjuntivite.

Juliano Perfeito diz que, em geral, a conjuntivite dá a sensação de corpo estranho (areia ou cisco) nos olhos, bem como um irritante lacrimejar.  “No caso de conjuntivite bacteriana os olhos ficam vermelhos com secreções purulentas”.

Segundo ele, incorrer no erro de usar medicamentos sem orientação médica pode piorar a situação.  “Existem colírios que são altamente contra indicados e que podem provocar sérias complicações e agravar o quadro, por isso é necessário ir imediatamente ao oftalmologista para saber o tipo de conjuntivite”, diz Juliano Perfeito.

Quem já contraiu a conjuntivite deve tomar alguns cuidados para evitar a transmissão, e lavar as mãos é o primeiro mandamento nesse sentido, além de evitar esfregar os olhos com as mãos, usas gases ou lenços de papel para higienizar os olhos e descartar os materiais imediatamente após o uso e não frequentar ambientes fechados com muita gente.