Educação

Foto: Divulgação

Os servidores da área da Educação estão de greve e nesta segunda-feira, 8, muitas escolas na capital e no interior não funcionaram. Em entrevista ao Conexão Tocantins nesta terça-feira, 9, o secretário Estadual da Educação, Adão Francisco disse que levantamento da Seduc junto às diretorias regionais de ensino mostra que 35% das escolas paralisaram.

Ele fez um apelo para que os servidores retornem ao trabalho. “ A expectativa é que os trabalhadores não paralisem e que possamos chegar a um denominador comum”, disse Adão. Segundo o secretário, o diálogo nunca faltou com o Sindicato dos Trabalhadores da Educação – Sintet. “ Nós temos conversado pelo menos três vezes por semana, há mais de meses estamos nessa construção conjunta com o Sintet e até com a Secad”, afirmou.

Adão citou que além da Educação o governo tem demandas de todas outras categorias e que o fator determinante é a situação financeira do Estado. “ Estamos numa crise fiscal, com uma arrecadação fragilizada. Até o final do ano sem incorporar nada na folha de pagamento teríamos um déficit de R$ 81 milhões só com base na arrecadação tributária”, revelou.

Os trabalhadores reivindicam pagamento das progressões, da data-base além de melhores condições de trabalho e até a realização de eleição para diretores. Uma comissão já foi formada e está tratando da realização destas eleições ainda este ano. “ Estamos no esforço do diálogo nossa intenção é atender o máximo que der mas temos que olhar as condições do Estado”, afirmou.

O Sintet continua mobilizando as escolas para que paralisem as atividades tanto na capital como no interior. O presidente do Sintet, José Roque disse ao Conexão Tocantins que além de paralisar as escolas o Sindicato fará um ato em prol das reivindicações.