Estado

Foto: Divulgação

O Sindicato dos Trabalhadores da Educação – Sintet continua a mobilização junto a professores das escolas do Estado na tentativa de paralisação em razão da greve deflagrada pela categoria. Levantamento da Seduc mostra que pelo menos 35% das escolas estão paralisadas. Os professores reivindicam várias demandas as principais delas a data-base e progressões além de melhores condições de trabalho e ainda realização de eleição para diretores.

Procurado pelo Conexão Tocantins o Sintet não soube informar quantos profissionais aderiram à greve. “ Estamos nesse processo de mobilização das escolas, as maiores estão paradas mas não sabemos dizer quantos alunos estão se aula”, admite o presidente José Roque.

Os educadores farão uma manifestação na Assembleia Legislativa nesta quarta-feira, 10, e preparam uma série de atos públicos. “ Faremos vários atos públicos e manifestações e continuaremos esperando o governo resolver e negociar conosco. Não vamos procurar mais”, disse.

Em entrevista ao Conexão Tocantins o secretário da Educação, Adão Francisco reforçou a abertura para o diálogo e falou das dificuldades e frustrações de receita do Estado que impedem com que a atual gestão faça implementos para as categorias. A Seduc deve fazer um cronograma de reposição das aulas para os alunos que foram prejudicados com a greve.

Na Educação do Estado são atualmente 9.400 professores sendo 2.920 contratados.Atualmente 844 professores da rede estadual estão de licença médica.No Estado o professor de nível superior tem um salário inicial de R$ 3.582,62.

A Comissão de Análise de Impacto Financeiro está responsável pela  negociação com os trabalhadores da educação, que ocorre em conjunto com
as demais categorias de servidores públicos. Durante reunião realizada na tarde de segunda-feira, 8, na sede da Secretaria do Planejamento, a Comissão reiterou aos representantes de entidades sindicais, a proposta de pagamento da data-base em duas parcelas (junho e novembro), com progressões sendo pagas a partir de 2016.

Ainda não foi agendada reunião específica com a categoria.De acordo com a Secretaria de Estado da Educação (Seduc), apenas 35% das
escolas estaduais paralisaram suas atividades. Esses dados partiram de um levantamento realizado pelas diretorias regionais de ensino.

A Seduc ressalta que não haverá prejuízo aos estudantes. Todas as aulas perdidas serão repostas conforme calendário a ser elaborado por cada escola.

A Seduc lembra ainda que a reivindicação do Sintet de eleições diretas para os diretores escolares já está sendo atendida. Uma comissão foi criada na pasta, com participação de representantes do sindicato, e está definindo os critérios para a realização das eleições.

Por: Maria Cotrim

Tags: Adão Francisco, José Roque, Sintet