Geral

Foto: Divulgação Os vereadores de Palmas cobram responsabilidades aos proprietários de imóveis abandonados no setor Aureny Os vereadores de Palmas cobram responsabilidades aos proprietários de imóveis abandonados no setor Aureny

Acontece no próximo sábado, 20 de junho, a partir das 8 horas no Aureny III, um protesto contra a violência geral em Palmas, especialmente na Região Sul da Capital. Simey Araújo é integrante da comissão organizadora e afirmou em entrevista ao Conexão Tocantins na tarde dessa terça-feira, 17, que o estupro e assassinato de Irene Barroso Costa na última sexta-feira, 12, é o motivador principal do protesto. Estão sendo preparados faixas e cartazes com frases pedindo segurança. 

De acordo com Simey, a expectativa é que muitas pessoas participem da manifestação. Ele que é morador no Aureny afirmou que estão sendo disseminadas mensagens nas redes sociais multiplicando o convite ao movimento. "O Governo do Estado, principalmente, tem que apresentar uma estratégia de combate ao crime, não só da violência contra a mulher mas de arrombamento, asfalto", frisou. 

Simey ainda informou que alguns familiares de Irene confirmaram presença na manifestação. "Conheço a família e outras pessoas, vizinhos, estão engajados no movimento. Familiares da Irene, não é confirmado, parece que vão com camisetas com foto da Irene. Estão muito abalados. Que não fique no esquecimento", disse. 

A manifestação acontece na Av. de acesso ao Aeroporto, esquina com a Av. Araguaia, Aureny III. 

Repercussão 

Irene Barroso foi estuprada em uma construção abandonada no setor Aureny III e após o estupro foi assassinada com 18 facadas. O caso é bastante repercutido no Estado. Após o crime, o vereador em Palmas, Claudemir Portugal (PPS) cobrou através de uma rede social providências da Prefeitura de Palmas para eliminação de imóveis abandonados e lotes baldios no Aureny III. Outros vereadores também cobraram responsabilidade de proprietários de imóveis abandonados. Para o vereador Hiram Gomes (PSDB) o poder público deve agir com rigidez contra os proprietários de imóveis e lotes vazios, a fim de garantir a segurança da população. Etinho Nordeste (PROS) propôs um mutirão de limpeza a cidade, proporcionando mais condições de segurança nas ruas. Joel Borges (PMDB) lamentou e Lúcio Campelo (PR) solidarizou-se com a família de Irene e também destacou a necessidade de mais segurança em  Palmas.

Um retrato falado do acusado foi elaborado e divulgado nas redes sociais para ajudar na investigação. O delegado responsável pelo caso, João Sérgio Kenupp, já desmentiu a prisão de um suposto acusado pelo crime e informou que outras duas mulheres denunciam o mesmo homem por estupro.