Estado

Os servidores do Quadro Geral do governo começam a semana com a visita a vários órgãos e se reunem na manhã de hoje com representantes do governo na Secretaria Estadual da Administração - Secad. Os grevistas permanecerão de braços cruzados e irão à Jucetins, Sine, Secretaria da Agricultura, Dertins, Infra e Sine. Segundo informou o presidente do Sindicato, Cleiton Pinheiro ao Conexão Tocantins na manhã desta segunda-feira, 22, às 16 horas acontecerá mais uma Assembleia da categoria em frente à Secad.

A primeira reunião para discutir o projeto da data-base, que tramita na Assembleia Legislativa, será nesta terça-feira, 23, na Comissão de Constituição e Justiça- CCJ, presidida por Valdemar Junior.

Educação

Os servidores da  Educação estão de greve há 15 dias e o Sintet informou que decidiu discutir a proposta em assembleias regionais com a categoria a partir desta segunda-feira, 22, até quarta, 24. A Assembleia geral será convocada para sexta, dia 26/6.

Em reunião realizada no sábado, dia 20, a diretoria executiva do SINTET encaminhou que a proposta enviada pelo governo estadual no fim da tarde desta sexta, dia 19, seja discutida pela categoria em assembléia.  A diretoria do Sintet esteve reunida durante todo o sábado em Palmas para avaliar os impactos da greve e tomar os encaminhamentos acerca da proposta recebida.

Na reunião foi avaliado que a adesão do movimento paredista tem aumentado progressivamente em todas as regionais, impactando diretamente mais de 90% dos alunos da rede estadual de ensino. Levantamento do SINTET considera que dos 181 mil anos, mais de 150 estejam sem aulas.

A proposta do governo propõe o pagamento da data-base de 8,34% dividido em duas parcelas iguais, sendo a primeira de imediato e a segunda em novembro de 201 e ainda o pagamento do passivo das progressões 2013 no total e 6.628.227,13 mi, a ser pago em 6 parcelas, a partir da Folha de Julho de 2015.

Quanto a incorporação das Progressões de 5.030 professores, referente ao ano de 2014, será dividida em 2 vezes, sendo a primeira a partir de setembro de 2015 e, a segunda a partir de outubro de  2015. (Impacto na Folha R$ 4.210.296,92). Quanto ao passivo gerado das progressões 2014 com valor de R$ 15.675.000,00, o governo propõe o pagamento em 4 parcelas, a partir de janeiro de 2016.Já as progressões 2015, as mesmas serão incorporadas, bem como suas diferenças  a ser pagas entre agosto e dezembro de 2016.

A greve dos trabalhadores em educação da rede estadual já dura 15 dias. Esta é a terceira proposta encaminhada pelo governo. O SINTET adianta que a proposta enviada não significa o encerramento da greve e que o movimento só será encerrado após a categoria deliberar em assembleia se é favor do fim da greve.

Por: Redação

Tags: Cleiton Pinheiro, José Roque, Sintet