Cultura

Foto: Divulgação

Arapiraca, cidade localizada no interior de Alagoas, foi considerada, décadas atrás, como a Capital do fumo, já que ela se destacava no país como sendo uma das maiores produtoras da planta.

Era muito comum, nos chamados salões de fumo, ouvir mulheres e homens trabalhando e entoando cantigas próprias. O tempo passou, a cultura do fumo decaiu e a história das cantigas foi ficando esquecida.

Mas quem for ao Teatro Sesc Palmas nessa terça-feira, dia 30, vai poder desfrutar de um espetáculo único, de resgate a uma cultura regional e de uma oportunidade de conhecer tradições brasileiras. O evento “Destaladeiras de Fumo de Arapiraca e Mestre Nelson Rosa” começa às 20h, por meio do Projeto Sonora Brasil. Os ingressos custam R$ 6 (usuário), R$ 4 (conveniado) e R$ 3 (comerciário, idoso e estudante).

História

O grupo é formado por cinco mulheres que trabalharam com a destalação (separação dos talos da folha de fumo para enrolá-la posteriormente) na época do auge da atividade na cidade. Nas salas de fumo, local onde as destaladeiras ficavam, a música era uma forma de distração e uma maneira de tentar despistar o sono da madrugada.

Os cantos e versos geralmente são improvisados e retratam questões do cotidiano: namoros, atividades domésticas, declarações de amor, brincadeiras. Além desses versos, elas vão apresentar o coco de roda, dança tipicamente nordestina, comandada pelo mestre Nelson Rosa, considerado patrimônio vivo de Alagoas.

Sonora Brasil

O principal objetivo do Projeto Sonora Brasil é difundir expressões musicais que fazem parte da história da música no país. Em sua 18º edição, o tema deste ano é “Cantos de Trabalho”, onde busca-se mostrar exemplos de manifestações musicais ainda existentes no Brasil e que são relacionadas ao trabalho, comum na região Nordeste.

Por: Redação

Tags: Agenda Cultural, Sesc, Sonora Brasil, Teatro Sesc