Saúde

Foto: Frederick Borges

Atendendo a solicitação do Governo do Estado para diminuir a espera de pacientes que necessitam de cirurgias de alta complexidade de joelho e coluna, o Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia Jamil Haddad (Into), que é referência em procedimentos ortopédicos de alta complexidade, vai realizar uma ação no Tocantins. 

Os médicos que compõem o Projeto Suporte, do Into, estarão nesse sábado, 18, no Hospital Geral de Palmas (HGP) atendendo a 72 pacientes que já  estavam na fila do Serviço de Regulação do Estado aguardando pelo procedimento. Destes, 23 necessitam de procedimentos na coluna e 49 no joelho. Como primeira etapa da ação, no sábado os pacientes passarão por uma avaliação pré-operatória, com atendimento ambulatorial. 

Depois dessa etapa, os médicos do Into, com o apoio da equipe do HGP e da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), realizarão a segunda etapa, entre os dias 17 e 21 de agosto, quando serão submetidos à cirurgia de coluna os 23 pacientes. A terceira etapa, que ocorrerá entre os dias 14 e 18 de setembro, será destinada aos 49 pacientes que serão submetidos a procedimentos de joelho. 

A etapa ambulatorial vai contar com a participação de três médicos, incluindo um anestesista e dois ortopedistas, além de profissionais do Hospital Geral de Palmas que irão auxiliar na ação e ao mesmo tempo acompanhar novas técnicas na área de traumatologia e ortopedia.

“Mesmo diante de todos os esforços do Estado, temos um grande número de pacientes que necessitam desse tipo de procedimento na área da ortopedia, por isso pedimos o auxílio ao Instituto. Essa ação vai contribuir para diminuir o tempo de espera desses pacientes”, destacou o secretário de Estado da Saúde, Samuel Bonilha. 

Entre os pacientes que irão passar pela avaliação da equipe do Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia neste sábado, está a dona de casa Aparecida Rossi, de 61 anos, que sofre de artrose, uma doença que ataca as articulações causando, principalmente, o desgaste da cartilagem que recobre as extremidades dos ossos. “Estou na fila de espera e fiquei muito feliz com a notícia! Estou na expectativa para a consulta pré-cirúrgica, espero que dê tudo certo para realizar o meu procedimento”, disse ansiosa. 

“Esses são pacientes que já estavam cadastrados na Central Nacional de Regulação de Alta Complexidade. Vale lembrar que como o serviço do Instituto é de alta complexidade não são todas as cirurgias de joelho e coluna que serão realizadas, mas somente aquelas consideradas complexas que requerem inserção de prótese”, ressaltou a técnica da Área de  Média e Alta Complexidade e apoiadora do Projeto Suporte no Tocantins, Cláudia Soutinho. 

O Projeto Suporte no Tocantins ocorre graças ao convênio de cooperação técnica firmado entre a Sesau e o Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia/Ministério da Saúde que desenvolve ações em todo o País. 

Projeto Suporte 

O Projeto Suporte visa à integração e a assistência em traumato - ortopedia e reabilitação, atendendo principalmente a região Norte do País. Desde a sua primeira edição, em 2003, já foram realizadas 52 edições beneficiando cerca de 2,6 mil pacientes com atendimentos ambulatoriais, entre os quais 1,3 mil foram submetidos a procedimentos cirúrgicos. (Ascom Sesau)