Estado

Foto: Divulgação

A movimentação para a eleição da Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Tocantins já começou nos bastidores e pelo menos seis advogados já colocaram o nome à disposição para possíveis candidaturas. Tradicionalmente, a eleição da Ordem sempre teve dois candidatos e a tendência é afunilar até agosto quando deve ser aberto o prazo para inscrição de chapas. No dia 20 o edital deverá ser publicado.

O Conexão Tocantins ouviu os principais nomes colocados até o momento nesta quinta-feira, 23. O atual presidente, Epitácio Brandão confirmou que não será candidato e que pretende apoiar a advogada Ester Nogueira para a sucessão. Procurada pelo Conexão Tocantins ela afirmou que foi escolhida pelo grupo da atual gestão. “Meu nome foi indicado pelo grupo do Epitácio e homologado pelo grupo. Minha sustentação de campanha é um tripé: a primeira coisa é que tenho nome na Ordem, tenho folha de serviço prestado, a segunda sou advogada, militante de uma reputação que durante 31 anos de profissão não tenho nenhuma advertência e nenhum processo e a terceira coisa é a administração de Epitácio que foi exemplar”, explicou.

A candidata citou ainda a necessidade da Ordem ter uma gestão voltada também para as questões sociais. “Penso numa OAB fortalecida onde homens e mulheres estejam cada vez mais em conforto e voltada para as questões sociais”, disse.

Ercílio quer voltar

O ex-presidente da instituição, Ercílio Bezerra também disse que será candidato. “Sou candidato sim, estamos conversando com a advocacia tocantinense e meu entendimento é que a escolha precede uma consulta e conversa com a advocacia tocantinense principalmente no debate de idéias”, disse. Segundo ele, a intenção de colocar o nome foi uma escolha dos advogados. O ex-presidente considera a defesa das prerrogativas e a inserção dos jovens advogados no mercado de trabalho como uma das principais demandas da classe atualmente.

Outro ponto citado por Bezerra é a interferência política na instituição. “A OAB tem que ser desprovida de interesse partidário, não pode ter simpatia nem empatia e nenhum tipo de contaminação política”, frisou.

Gedeon defende renovação

Pregando a renovação, o advogado e conselheiro federal da OAB, Gedeon Pitaluga também vem construindo sua candidatura. “Estamos iniciando o processo de discussão e fazendo o diálogo com a advocacia. Nosso projeto é de alternância de poder e de fortalecimento da advocacia”, disse o advogado que já foi inclusive presidente da Associação Tocantinense dos Advogados (ATA).

Gedeon já colocou o nome para disputar a presidência da OAB em 2009, mas em 2012 não participou do processo eleitoral. “O cartão de visita dessa discussão é a alternância e um a proposta em conjunto propositiva, democrática e construtiva”, disse. Um questionamento do advogado é com relação à transparência da Ordem. “Há um grupo que é o mesmo nesses 26 anos e isso gerou um distanciamento da ordem e da advocacia além disso falta transparência administrativa”, disse.

Klayber prega consenso

O advogado eleitoral, um dos mais conhecidos na área no Estado, Juvenal Klayber também colocou o nome para tentar construir uma chapa. Ele critica a divisão em grupos na Ordem. “Dentro da OAB não pode haver distinção de grupo. Eleição classista não é política, defendo que não tenha eleição e sim candidatura única  de consenso”, frisou.

O advogado disse que sua intenção é dialogar para tentar consenso em torno de um nome. “Estou procurando os demais grupos e candidatos para conversar. Não podemos admitir candidaturas postas sem discutir. No mês de agosto com certeza terá um afunilamento para fechar um grupo”, disse.

Outros nomes que também teriam declarado pretensão em disputar é Julio Solimar e Valter Ohfugi. O Conexão Tocantins tentou contato com os dois porém não obteve sucesso.