Campo

Foto: Divulgação

O Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins) participa, desde 2013, como parceiro do Projeto Cerrado Jalapão, que tem por objetivo aprimorar o controle de incêndios na região do Jalapão e reduzir em 25% a emissão de gases de efeito estufa, na atmosfera, até 2016.

Para avaliar os resultados dessa parceria, até agora, bem como as metas a serem alcançadas no segundo semestre deste ano, o coordenador geral do projeto, no Brasil, Michael Scholze e representantes da Agência Alemã de Cooperação Técnica (GIZ), reuniram-se na tarde desta quinta-feira, (30), com o presidente do Ruraltins, Pedro Dias, na sede central, em Palmas.

Na oportunidade o gestor do órgão de extensão rural ressaltou a importância do Projeto Cerrado Jalapão para o Estado, bem como o trabalho executado pelos extensionistas nos municípios atendidos. 

“A natureza do trabalho desse projeto já faz parte do nosso dia a dia, como a sensibilização dos produtores sobre o perigo de incêndios, práticas ecologicamente sustentáveis, alternativas ao uso do fogo e orientações técnicas para realizar queimadas controladas, são algumas das nossas ações. Então, queremos cada vez mais fortalecer essa parceria que tende a potencializar o nosso trabalho e consequentemente melhorar a qualidade de vida do agricultor e suas famílias”, avaliou Pedro Dias.

MIF

Uma das iniciativas implementadas pelo projeto é o Manejo Integrado do Fogo (MIF), onde técnicos do Ruraltins, numa ação conjunta com o Instituto Natureza do Tocantins / Naturatins,  programam ações de aplicação de queimas prescritas na Área de Preservação Ambiental (APA) e no Parque do Jalapão.

Segundo o engenheiro ambiental do Ruraltins, Dyego Santana Reis, o MIF baseia-se numa metodologia que pode ser de grande valia para melhorar a qualidade das práticas agrícolas. “Consiste em fazer o uso do fogo de baixa intensidade em épocas mais úmidas, e de maneira mais lenta para otimizar seu controle. A queima planejada conjuntamente  com as comunidades e autoridades locais, assegura que o uso do fogo seja realizado de forma controlada, na época certa”, explica.

Ações

De acordo com a técnica do Ruraltins, Dryelly Rodrigues, entre as principais ações a serem desenvolvidas neste segundo semestre estão sete Dias de Campo sobre alternativas ao uso do fogo, cursos de apicultura e processamento de frutos e o Seminário Estadual de Agroecologia. 

Projeto Cerrado Jalapão

No intuito de unir forças para a redução dos desmatamentos e das queimadas no Cerrado, os governos do Brasil e da Alemanha, criaram o Projeto de Prevenção, Controle e Monitoramento de Queimadas Irregulares e Incêndios Florestais no Cerrado, nomeado simplesmente de Projeto Cerrado-Jalapão, por beneficiar diretamente as unidades de conservação do Corredor Ecológico da região do Jalapão e municípios localizados no entorno dessas unidades.

O projeto, promovido entre o governo brasileiro e o governo alemão, tem como parceiros na implantação o Ibama/Prevfogo, o Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins), a Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh), o Ruraltins, a Embrapa, o Instituto Chico Mendes de Conservação e Biodiversidades (ICMBio) e a Cooperação Técnica Alemã (GIZ). (Ascom Ruraltins)