Polí­tica

Foto: Divulgação

O vereador do PV, Joaquim Maia questionou a Prefeitura de Palmas sobre a redução do subsídio no cálculo da nova tarifa de transporte coletivo da capital que passará a ser R$ 3,13 a partir do dia 11 de agosto. Ele fez o questionamento na tribuna da Câmara de Palmas e encaminhou pedido de informações para que o Paço explique detalhadamente.

“Porque o  município não manteve subsidio? caiu de 0,30 centavos para 0,18, se praticassem o mesmo subsídio a tarifa não seria tão alta. Já tem a redução do ISSQN, o Estado deu a  redução do ICMS do combustível  e o que vemos é que o subsídio caiu. O município está deixando de dar o apoio para a população transferindo a carga para a população daqui a pouco não teremos mais subsídio”, alegou.

O vereador disse que vai aguardar manifestação da prefeitura e se isso não acontecer pretende mobilizar os setores e movimentos organizados em torno da questão. “Se não responder vamos tentar nos movimentar de outra forma. Desonerou para as empresas mas a desoneração não foi passada da mesma maneira que estava para a população”, disse.

Movimentos estudantis também se movimentam com relação ao assunto. Por outro lado a prefeitura alega que o reajuste da tarifa é em razão da melhoria do sistema de transporte na Capital. 

O aumento da tarifa foi debatido pelo Conselho de Acessibilidade, Mobilidade e Transporte (CMAMT), com aprovação dos estudos apresentados pela SMAMTT. Foi criada uma comissão que avaliou a planilha de gastos do transporte, considerando três fatores: aumento dos impostos, aumento no valor dos combustíveis e o reajuste no salário dos motoristas. A passagem que até então é de R$ 2,50, custará R$ 2,95 ao bolso dos usuários.