Educação

Foto: Luiz Melchiades Para os educadores é necessário uniformizar o currículo para que todos os estudantes brasileiros tenham as mesmas oportunidades Para os educadores é necessário uniformizar o currículo para que todos os estudantes brasileiros tenham as mesmas oportunidades

Educadores da Secretaria da Educação do Tocantins se reuniram na manhã desta terça-feira, 11, para compartilhar informações sobre o estudo da base comum curricular da educação básica brasileira, cujo documento básico está sendo elaborado por uma equipe de 116 especialistas de todo o país, na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Do Tocantins, os educadores Luciana Pegoraro Penteado Gândara, assessora de currículo da Seduc e Maycon Silva de Oliveira, que leciona Geografia na Escola São José, em Palmas, integram a equipe de especialistas que estão finalizando o documento base com objetivos e direitos de aprendizagens, até o próximo dia 17. Após a revisão, esse documento será disponibilizado para estudo e incorporação de sugestões de professores, alunos e comunidade.

Já o superintendente de Desenvolvimento da Educação, professor Divino Mariosan Rodrigues de Siqueira faz parte de outra comissão do Ministério da Educação que articula as discussões nos estados.

“A base comum será um documento que será utilizado em todas as salas de aulas, seja escola pública ou privada, da rede estadual, municipal ou federal. Será um conhecimento para todos e essa discussão vem somar com a nossa proposta de Educação Integral e Humanizada”, explicou o professor Divino.

Os dois professores que integram o grupo de especialistas participaram de várias reuniões em Belo Horizonte (MG), analisaram as bases curriculares de outros estados e fazem parte de fóruns de discussões. “Como professor é importante participar da elaboração desse documento porque somos nós que estamos no chão da escola, em contato com os alunos e sabemos o que é essencial na aprendizagem.

Já a educadora Luciana ressaltou a diversidade que compõe a equipe de especialistas formadas por professores, servidores da Educação e universidade, com representantes de todos os estados. “Será um documento que deverá chegar à escola e depois ultrapassar os limites escolares e ressalto como é importante a participação popular na elaboração do documento final”, disse Luciana.

No Tocantins, os educadores irão estudar o documento base e irão mobilizar as Diretorias Regionais de Educação, escolas, associações envolvidas com a educação, prefeituras e outras instituições para que todos participem com sugestões e análises do Currículo Nacional da Educação Básica.

As ideias e informações sobre a base curricular estarão disponíveis nos sites www.movimentopelabase.org.br ehttp://basenacionalcomum.mec.gov.br, os tocantinenses terão um prazo de até o dia 15 de dezembro para inserir mudanças. (Ascom Seduc)