Campo

Foto: Divulgação

O Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins) realiza nessa quinta e sexta-feira, 03 e 04, uma série de reuniões com agricultores familiares, gestores municipais e representantes de entidades beneficentes sobre a importância da implantação do Serviço de Inspeção Municipal (SIM).

As reuniões vão acontecer nos municípios de Natividade, São Valério, Conceição do Tocantins, Chapada da Natividade, Dueré e Peixe. Segundo a engenheira de alimentos do Ruraltins, Ila Raquel Mello Cardoso, a ação visa orientar os agricultores que comercializam para o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e para o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) sobre as medidas que devem ser adotadas para produção de um alimento seguro para o consumo.

“Os alimentos que são fornecidos para esses programas precisam estar dentro das normas sanitárias, ou seja, devem seguir o que rege a legislação. Isso garante um alimento saudável para quem consome e evita transtornos para quem fornece”, disse. Ainda de acordo com Ila Raquel, um dos erros cometidos pelos produtores é iniciar o processo de adequação a legislação sem antes consultar os órgãos de fiscalização. 

A engenheira de alimentos acrescenta que os alimentos de origem animal merecem uma atenção especial, e, para isso, é necessário ter o acompanhamento dos fiscais municipais, responsáveis pela inspeção desses produtos.

“Os alimentos de origem animal deverão ser inspecionados pelos serviços de Inspeção Municipal (SIM), Serviço de Inspeção Estadual (SIE) e o Serviço de Inspeção Federal (SIF). Já os alimentos de origem vegetal processados devem ter alvará sanitário, exceto a polpa de frutas e bebidas, os quais deverão ter registro no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Todos esses selos asseguram a qualidade do produto”, esclarece.

Os produtos de origem animal que necessitam do selo de inspeção municipal são: embutidos cárneos, queijo, ovos, mel e doces. Em cada reunião, o Ruraltins espera reunir cerca de 30 pessoas.