Cursos & Concursos

Foto: Divulgação

Sob orientação do instrutor Clayton Luiz Castro Schultz, coordenador da Comissão Técnica de Segurança, Higiene e Saúde Ocupacional da Associação Brasileira da Indústria Química (ABIQUIM), cerca de 30 pessoas tiveram a oportunidade de conhecer detalhadamente as Normas Regulamentadoras (NRs) de Segurança e Saúde no Trabalho.

O curso foi realizado nesta quinta-feira, 15, na sede da Federação das Indústrias do Estado do Tocantins (FIETO), e abordou os aspectos que mais geram problemas, como a complexidade das Normas, fator que dificulta bastante a interpretação e o cumprimento.

As normas de segurança e saúde no trabalho são elaboradas pelo Governo (Ministério do Trabalho e Emprego, Ministério da Previdência Social e Ministério da Saúde) e representantes dos empregadores e trabalhadores. Hoje, são 35 normas regulamentadoras estão em vigência no país.

Dados do Ministério do Trabalho mostram que 65% das autuações realizadas no Brasil, de 2011 a 2014, aconteceram na indústria. Essa é uma das principais preocupações da engenheira Klabia Pereira que trabalha na construtora Coseno Engenharia e se inscreveu no curso. “A quantidade de autuações na construção civil, é alarmante. Muitas vezes somos notificados por pura falta de conhecimento” disse.

O gerente de frotas da empresa Draga Minas, Roney Vieira, também participou do treinamento e saiu satisfeito com o aprendizado. “Me chamou bastante atenção o cuidado e zelo que devemos ter com os funcionários. Medidas necessárias não só para evitar problemas, mas para gerar mais produtividade e resultados” concluiu.

Durante o dia de treinamento o instrutor reforçou que um dos principais caminhos para facilitar a implantação das Normas ou até mesmo melhorar essas regras, é a organização das empresas de forma coletiva, por meio dos sindicatos.

O curso foi viabilizado pelo Programa de Desenvolvimento Associativo (PDA), uma ferramenta da indústria para fortalecer a representação sindical e melhorar o ambiente de negócios aumentando a competitividade das empresas.