Esporte

No gramado central do Estádio Nilton Santos, em Palmas/TO, crianças, jovens e adultos do povo Javaé, do Estado do Tocantins, fizeram uma saudação especial à arena que foi reformada para receber as partidas de futebol da primeira edição dos Jogos Mundiais Indígenas. Eles fizeram uma apresentação cultural de dança e cânticos para o governador do estado, Marcelo Miranda, o prefeito da cidade, Carlos Amastha, e para o secretário nacional de Esporte, Educação, Lazer e Inclusão Social do Ministério do Esporte, Evandro Garla, que participaram da cerimônia de reinauguração da arena de futebol.

O povo Javaé é dividido em 13 aldeias ao longo do rio Javaés. Eles habitam a Ilha do Bananal, considerada uma das maiores ilhas fluviais do mundo, na divisa entre Tocantins e Goiás.

Na oportunidade, o governador Marcelo Miranda falou sobre o orgulho dos tocantinenses em receber a primeira edição dos Jogos Mundiais Indígenas. “Estou muito feliz com a parceria entre os governos federal, estadual e municipal. Entendo que estes Jogos Mundiais ficarão marcados na história do nosso estado e do mundo. A festa é deles e temos que parabenizar os indígenas, todos aqueles que acreditaram vieram a Tocantins e, tenho certeza, levarão de volta para casa uma lembrança de um povo hospitaleiro”, disse o governador.

Estádio

A reforma do Estádio Nilton Santos é um dos legados físicos que os jogos deixarão para a cidade de Palmas. Com a revitalização, a arena passou a seguir os padrões exigidos pelo Estatuto do Torcedor e poderá receber partidas de futebol de todo o estado.

O secretário Evandro Garla destacou o papel das obras de revitalização que o evento mundial já trouxe para Palmas. “Muitos estão perguntando o que seria o legado para os Jogos Mundiais Indígenas. Esse é o primeiro ponto legado físico dos Jogos, além do legado imaterial que será a troca de cultura, a festa e tradições que os indígenas estarão trazendo para Palmas”, disse.

Com o lema “Em 2015, somos todos indígenas”, a primeira edição do evento será a celebração da cultura nativa, diversidade, arte e tradição, que vai de 22 a 31 de outubro. A programação conta com esportes indígenas, que se dividem em jogos tradicionais demonstrativos e jogos nativos de integração, além dos esportes ocidentais competitivos, que também tem a característica de unificação das etnias e povos indígenas. (Ascom Ministério do Esporte)