Meio Ambiente

Foto: Divulgação Braço do lago UHE Lajeado que recebe as águas do Ribeirão Taquaruçu e onde serão realizadas competições Braço do lago UHE Lajeado que recebe as águas do Ribeirão Taquaruçu e onde serão realizadas competições

As análises da água do Ribeirão Taquaruçu, em Palmas, local das provas aquáticas dos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas, constataram que os parâmetros satisfazem os limites preconizados pelo Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conana). O relatório de análises foi encaminhado pela Saneatins – Odebrecht Ambiental na tarde desta terça-feira, 20, a pedido da Agência Tocantinense de Regulação (ATR). 

Os resultados foram obtidos na amostra com os valores máximos permitidos pelo Conselho Nacional do Meio Ambiente 430, de 23 de maio de 2011, e comparando-os aos resultados para amostra com os valores máximos permitidos pelo Conama 357, artigo 15, de 17 de março de 2015 – Padrão para águas classe II - pode-se observar que no corpo receptor à montante do lançamento do efluente e à jusante do lançamento do efluente tratado os parâmetros satisfazem os limites preconizados.

De acordo com a análise de balneabilidade apresentada pela Saneatins – Odebrecht Ambiental, o Ribeirão Taquaruçu está apto para o banho e práticas esportivas. “A maior preocupação seria os coliformes, mas segundo as análises eles estão bem abaixo do máximo permitido, portando dentro dos parâmetros do Conama”, destacou a bióloga da ATR, Izabela Martins Raposo.