Opinião

Foto: Divulgação

Você deve estar cansado de saber que 31 de outubro é o Dia do Halloween, certo?  O que provavelmente você - e a maioria dos brasileiros -não sabe é que esse é também o Dia da Poupança.

Infelizmente, a grande mídia enfoca mais a primeira comemoração do que a segunda. Por quê? Não faço a menor ideia. Nada contra as bruxas, fantasias, doces ou travessuras, mas convenhamos, a poupança deveria ter um destaque maior.

É por essa falta de cultura, de interesse, de informação e de tantas outras coisas que vivemos em um país que não tem cultura poupadora. Poupar dinheiro, mais do que um hábito, mais do que uma mera decisão financeira é um sinal de consciência social para consigo e com os outros a seu redor.

Muitas pessoas cometem o equívoco de ver a poupança como um mero luxo: “Se eu puder, eu poupo!”. Se puder? Ora, você tem que dar um jeito de poder. É o seu futuro e o futuro daqueles à sua volta que está em jogo e isso, certamente, não parece ser um luxo, mas sim uma necessidade e, como tal,precisa ser priorizada.

Economizar dinheiro não é meramente uma decisão econômica. Não é apenas abdicar do consumo de alguma coisa hoje para consumir mais dela amanhã. Economizar é, sobretudo, desenvolver a consciência da importância de planejar o futuro.

Precisamos estar financeiramente preparados para as oportunidades e adversidades que encontraremos ao longo da vida. Ter um fundo de reserva é a melhor maneira de superar os momentos ruins e conseguir aproveitar os bons momentos que estão por vir.

Evidentemente, iniciar um plano de poupança requer organizar sua vida financeira, abrir mão do consumo de algumas frugalidades do dia a dia, mas, acima de tudo, requer atitude. Atitude para realmente começar, independente do quão difícil ou dolorosa possa ser essa decisão.

Você pode até começar uma poupança sem entender muito de finanças e até mesmo sem ter seu orçamento organizado, mas você jamais, eu disse, jamais irá conseguir poupar, caso não esteja fortemente engajado nesse propósito. E para que haja esse engajamento é preciso, antes de qualquer coisa, que se tenha consciência da importância da poupança para a sua vida, para o seu futuro.

O sonho de enriquecer que cada um de nós tem em maior ou menor grau passa, em boa medida, pela nossa capacidade de poupança. Conseguir guardar parte dos nossos rendimentos mensalmente é imprescindível para construir essa riqueza, afinal, só fica rico quem investe e só investe quem poupa.

Se você ainda não começou a fazer sua poupança, trate logo de comprar seu cofrinho. Não subestime o poder das pequenas economias. De moeda em moeda é que se engorda o cofre. E se o seu está passando fome, trate de alimentá-lo ainda hoje. Saiba que é assim, passo a passo, moeda a moeda que se constrói uma vida financeira próspera.

Escolher entre doces ou travessuras é fácil! Difícil mesmo é a escolha entre comprar ou poupar. Porém, as escolhas mais importantes da vida não são fáceis mesmo. Cabe a você decidir o que quer para o seu futuro.

Samuel Magalhães é Consultor Financeiro, Palestrante, fundador do Portal www.invistafacil.com e do instagram @oinvestidor.