Saúde

Foto: Frederick Borges Neste Novembro Azul, a orientação é que os homens tenham uma preocupação com a saúde de forma integral Neste Novembro Azul, a orientação é que os homens tenham uma preocupação com a saúde de forma integral

O novembro azul chegou e o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), aproveita a ocasião para alertar aos homens tocantinenses sobre cuidados com a saúde, que devem ser de forma integral, envolvendo além de exames de próstata, consultas e outros exames de rotina.

Só no Tocantins, de acordo com o Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (DataSUS) em 2013 as doenças cardiovasculares foram responsáveis por 63 óbitos no público masculino. No ano de 2014 foram 77 óbitos por esta causa. Já com relação aos tipos de câncer, em 2013 foram 54 óbitos e em 2014 um total 59 óbitos.

Conforme o Instituto Nacional do Câncer (Inca), a estimativa de casos novos no Estado, realizada no ano de 2014, aponta a ocorrência de 410 casos de câncer de próstata, enquanto o câncer de traqueia, brônquio e pulmão apresenta a estimativa de 60 casos e o de cólon e reto um total de 50 casos no público masculino.

O técnico da área da Saúde do Homem da Sesau, Márcio Pantoja, ressalta que no Tocantins o que mais causa morte no sexo masculino são as doenças cardiovasculares e as causas externas, como acidentes de trânsito. “Orientamos  aos municípios não só com relação ao câncer de próstata, mas sobre uma atenção integral a saúde do homem, com a realização de exames de rotina como os de sangue, urina, controle de diabetes, testes rápidos, saúde bucal e outros”, explica.

Segundo estudos do Inca, o câncer de próstata é uma doença da terceira idade, isto é, ¾ dos casos no mundo ocorre em homens acima de 65 anos. O Ministério da Saúde não recomenda realizar o rastreamento, mas sim o diagnóstico precoce, que é submeter homens com sinais e sintomas da doença à realização de exames para identificar o câncer em estágios iniciais, baseado em estratégias de informações e garantia de acesso.

De acordo com o técnico da Gerência da Rede de Prevenção, Diagnóstico e Tratamento do Câncer da Sesau, Robson José da Silva, neste ano o Ministério da Saúde busca focar todo o contexto de saúde e doença do homem. “Olhando os sinais e sintomas que as doenças podem acarretar e não necessariamente o câncer de próstata e o rastreamento. Os exames de rastreamento possuem uma grande possibilidade de dar falso positivo ou falso negativo. Então não há evidência  científica que aponte que é necessário fazer o rastreamento para o câncer de próstata”, destacou.

O técnico explica ainda que alguns casos são exceções. “Deve ocorrer o rastreamento quando há casos de câncer de próstata identificados na família, em pessoas com menos de 60 anos, em especial se forem pais ou irmãos. Para os demais não há indicação para a realização de rastreamento, mas sim do diagnóstico precoce”, disse.

Atualmente, a Secretaria de Estado da Saúde apoia os municípios  com visitas técnicas in loco, capacitações e orientações sobre a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem.

Câncer de próstata

Mesmo com a necessidade de se destacar a importância de uma atenção integral a saúde do homem, com a realização de exames de rotina, o câncer de próstata ainda é o tema mais abordado Novembro Azul.

De acordo com o médico urologista do Hospital Geral de Palmas (HGP), Adelmo Aires Negre, o câncer de próstata atinge o sistema urológico dos homens e ainda não possui uma causa totalmente definida. Acredita-se que alguns fatores influenciam no surgimento, como o envelhecimento, hormônios, hábitos de vida, genética, hábitos alimentares, entre outros. 

“Os sintomas na fase inicial têm evolução silenciosa e muitos pacientes não chegam a apresentar nenhum sintoma. “Quando apresentam são semelhantes às do crescimento benigno da próstata, que se caracteriza pela dificuldade de urinar e necessidade de ir ao banheiro muitas vezes durante o dia e a noite. Já na fase avançada, o câncer de próstata pode provocar dor óssea, sintomas urinários, infecção generalizada ou insuficiência renal”, explica o médico.

O especialista reforça que assim como as mulheres, os homens devem se conscientizar de que a prevenção é o segredo de uma vida longa. E o sedentarismo e os hábitos alimentares desregrados são uma das prováveis causas do aparecimento da doença em homens mais jovens.