Estado

Foto: Divulgação

Os altos índices de violência doméstica no Estado do Tocantins, e, especial, na Capital, sensibilizaram diversos segmentos da sociedade civil e governamental em torno desta temática. Na última quinta-feira, 5, a coordenadora do Núcleo Maria da Penha do Ministério Público Estadual, promotora de Justiça Flávia Rodrigues, participou de uma reunião na Secretaria Estadual de Segurança Pública, que tratou dos detalhes da campanha de combate à violência contra a mulher, a ser executada nos meses de novembro e dezembro deste ano.

As ações de conscientização terão início no dia 25 de novembro, data em que se comemora o Dia Internacional da Não-Violência contra a Mulher. Serão 16 dias de ativismo, com a realização de palestras em escolas públicas, entrevistas na imprensa e divulgação de material orientando a população sobre os mecanismos de defesa e como denunciar casos de violência doméstica e familiar.

"Os problemas relativos à violência doméstica vêm ganhando cada vez mais visibilidade. A compreensão da complexidade do fenômeno exige uma abordagem intersetorial e interdisciplinar na formulação de política públicas integradas para a superação da violência. A iniciativa de articulação da rede de atendimento à mulher é uma ferramenta muito importante neste embate e estamos todos imbuídos do propósito de unir esforços para atuar na prevenção e repressão aos crimes cometidos no âmbito doméstico", comentou a promotora de Justiça Flávia Rodrigues.

Além da representante do Ministério Público Estadual, participaram da reunião o juiz de direito Antiógenes Ferreira de Souza, a defensora pública Vanda Sueli Machado de Sousa Nunes, o subsecretário de Segurança Pública, Abizair Paniago, e as delegadas de atendimento à mulher, Maria Haydê Alves, Luciana Cunha da Silva e Jaqueline Guimarães, além de representantes da Secretaria da Educação.