Estado

Mais uma vez o candidato à presidência da Ordem dos Advogados do Brasil-Seccional Tocantins (OAB-TO), Gedeon Pitaluga, da Chapa OAB Para Todos, participou sozinho de mais um programa de rádio, em decorrência de ausência do candidato adversário Walter Ohofugi, desta vez no programa Opinião e Debate, da rádio Jovem Palmas, 104, 7, nesta última segunda-feira, 23. Em formato de entrevista, Gedeon Pitaluga usou o tempo dobrado para apresentar as propostas para a advocacia tocantinense e reiterar o compromisso de seu grupo de representatividade qualificada para a classe, e de fazer da Ordem dos Advogados uma instituição presente e atuante nas demandas dos advogados. “A nossa concepção é diferenciada. Entendemos que todos fazem parte da Ordem, mas notamos que há um déficit de representatividade em alguns setores, como a advocacia jovem, advocacia feminina, advocacia previdenciária, advogado do interior, advogados públicos, entre outros. O nosso compromisso é baseado na representatividade qualificada e renovada em prol de uma Ordem que valorize todos os advogados, porque só assim fortaleceremos a advocacia e resgataremos o papel da Ordem, de representar o advogado e a sociedade civil”, afirmou Gedeon. 

Após apresentar as propostas, Gedeon lamentou mais uma vez o fato da oposição continuar insistindo em não debater democraticamente a advocacia e a Ordem. “A falta de compromisso com o debate qualificado demonstra também falta de compromisso com a Ordem e a advocacia. Infelizmente o nosso adversário vêm insistindo em não debater as propostas e soluções que a classe tanto almeja, isso infelizmente enfraquece o propósito das eleições. A Ordem precisa de representatividade com qualidade, essa não pode ser a postura de alguém que pretende presidir uma instituição como a Ordem, tão importante pra sociedade. O descaso não pode servir de exemplo”, comentou Pitaluga.

Sabatina UFT

Ainda nesta segunda-feira, os candidatos à presidência da OAB- TO, tiveram mais um espaço aberto pela imprensa e participaram de sabatina na rádio estudantil “Frequência Alternativa”, da Universidade Federal do Tocantins (UFT), promovida por alunos de Comunicação Social e Direito, da instituição.

Em entrevista, sobre propostas de parcerias entre a OAB-TO e o curso de Direito, Gedeon Pitaluga mostrou o conhecimento com a Ordem ao informar ao candidato oposicionista que a sua proposta de transformar a Escola Superior de Advocacia (ESA) em uma fundação não seria possível, uma vez que a estrutura e a natureza jurídica do órgão é definido pelo Regulamento Geral do Conselho Federal da OAB, ficando a cargo da OAB Nacional a possibilidade de tal mudança. “Nós temos uma proposta conceitual de discussão dentro da universidade, e a Universidade Federal do Tocantins não poderia deixar de ser a grande referência aqui no Estado do Tocantins. Nós temos uma proposta de firmarmos convênios com a universidade federal para definirmos a forma de estágio profissional entre a Ordem e a universidade, dando condição para que os alunos tenham acesso facilitado à inscrição de estagiário da Ordem, para que ele possa iniciar o exercício profissional como apoio, orientação e fiscalização da Ordem dos Advogados do Brasil”, afirmou Gedeon

Gedeon ainda informou que seu grupo tem um projeto inovador já dialogado com Luiz Flávio Gomes, que é um empreendedor do sistema educacional, “para poder trazer toda essa experiência dele para o Tocantins. Fazer essa revolução no sistema educacional jurídico no Estado do Tocantins é possível, e queremos virar referência nacional. Não poderia deixar de falar da pouca exequibilidade, do pouco conhecimento de uma proposta que trata de mudar a natureza jurídica da Escola Superior de Advocacia, até porque isso é previsto no regulamento geral do Conselho Federal da Ordem que, para qualquer mudança da natureza jurídica de órgão do Conselho Federal, isso depende de uma aprovação do Conselho Federal, e não pela Seccional, como foi colocado aqui pelo candidato concorrente”, disse Gedeon

Visitas

A Chapa OAB Para Todos apresentou as propostas de gestão nas Secretarias de Educação, Transporte e Assistência Social, Administração, Habitação, Esportes e Juventude e também ao Procon.  Gedeon Pitaluga quer construir uma gestão com representatividade ampla, atendendo aos anseios de todos os advogados, inclusive os advogados públicos e professores. “O advogado, independente do setor, deve ser representado com qualidade. Advogado público, os analistas, assessores, assistentes, os professores, os privados, previdenciários, criminalistas, trabalhistas, enfim, todos merecem uma Ordem atuante. É essa nova concepção, de representatividade ampla, que queremos implantar”, disse Gedeon.

Por: Redação

Tags: Eleição da OAB, Gedeon Pitaluga, OAB