Polí­cia

Foto: Divulgação

Nesta terça-feira, 19, peritos do Laboratório de Análises Forense da Polícia Científica realizaram a coleta de fios de cabelos da mãe da criança Laura Vitória, a qual se encontra desaparecida desde o último sábado, dia 9. De acordo com os peritos responsáveis pelo procedimento, os folículos capilares serão utilizados para exames toxicológicos, o que possibilita analisar de forma mais detalhada, sob a ótica de uma janela mais ampla de até três meses com o objetivo de detectar o consumo de drogas, tais como maconha e cocaína.

O exame foi requisitado pelo delegado João Sérgio Vasconcelos Kenupp, titular da Delegacia de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP), responsável pelas investigações sobre o desaparecimento da criança. Ainda segundo o perito, Cláudio Gonçalves da Costa, responsável pela coleta, o corte dos cabelos, se dá, rente ao couro cabeludo, na região da coroa da cabeça.

De acordo com o superintendente da Polícia Científica, Gilvan Nolêto, o fato de se coletar amostras biológicas da mãe da criança, não significa que ela esteja sendo acusada do desaparecimento e sim, para buscar o máximo de respostas que possam melhor nortear as investigações.

Esse tipo de exame, segundo os peritos, tem potencial para detectar a presença de diversas substâncias toxicológicas no organismo humano, com muito mais exatidão e por um período entre um mês até um ano, haja vista o cabelo crescer um centímetro por mês.

Entre as substâncias que esse tipo de exame pode detectar, estão: Anfetaminas, Benzodiazepínicos, Canabinóides (Maconha), Cocaína, crack e Merla, Metanfetaminas e Exstasy, Catinonas, Metadona, Mefredona, Hipnóticos e Sedativos, Opiáceos e Opióides, Cetamina ou Quetamina, LSD, Propoxifeno, Tramadol, PCP, dentre outras.