Meio Ambiente

Foto: Divulgação

As equipes de fiscalização do Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins) realizam periodicamente ações nos rios e lagos do Tocantins com o objetivo de restringir a pesca predatória no período da Piracema. Neste último final de semana, os fiscais da regional de Palmas percorreram sete municípios: além da capital, o município de Miracema do Tocantins, Lajeado, Tocantínia, Porto Nacional, Brejinho de Nazaré e Ipueiras.

Nos dias de atuação, as ações ocorreram nas margens do lago da Usina Hidrelétrica Luis Eduardo Magalhães, no rio Tocantins, além da abordagem aos veículos que passavam pelo local. Entre os materiais apreendidos 300 metros de rede de malha, apetrechos diversos usados para a pesca, como molinete e linhas.

No Projeto São João, na margem esquerda do Lago, os fiscais identificaram alguns pescadores com pescados, após a advertência os peixes foram soltos. A fiscalização encontrou ainda uma rede dentro do lago com peixes presos, porém não foi possível encontrar o responsável.

A equipe também realizou orientação para um grupo de criadores de passeriformes silvestres, abordados, no trecho do Rio Providência, afluente do Tocantins, que portavam gaiolas com pássaros das espécies curió e canário. Ficou constato que os criadores possuíam os documentos autorizados pelo Ibama, porém os fiscais reforçaram sobre a proibição de captura de pássaros e outros animais da fauna sem autorização do órgão ambiental competente.

Portaria

Além de proibir a pesca no período de 1º de novembro/2015 a 29 de fevereiro/2016, a portaria Nº 314  proíbe também o transporte, a comercialização, o beneficiamento e a industrialização de espécimes provenientes da pesca. As multas aos infratores podem variar de R$ 700,00 a R$ 100 mil, mais R$ 20,00 por quilo de peixe pescado.