Polí­tica

Foto: Divulgação

Com a experiência de quem conduziu, no Congresso, a CPI do Carf (Conselho Administrativo de Recursos Fiscais), o senador Ataídes Oliveira (PSDB) afirmou na manhã desta sexta-feira, 4, que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, alvo de ação da Polícia Federal, em São Bernardo do Campo (SP), deve mais explicações.

"Nesse momento conturbado da política do País e até de descrença com a classe política, a ação da Polícia Federal é mais uma prova mostra que ninguém está acima da lei. O ex-presidente Lula deve muitas explicações ao país, não só relacionadas às questões do sítio em Atibaia ou sobre o triplex no Guarujá", afirmou o senador.

Ao citar Lula em seu comentário, o senador Ataídes Oliveira refere-se ao fato do surgimento de novas informações relacionadas a uma possível pressão de Lula sobre a apuração da CPI do Carf, que teve seu relatório final aprovado em dezembro e que pediu o indiciamento de 28 pessoas.

A CPI presidida por Ataídes foi criada para apurar manipulação em julgamentos do Carf para faverecer empresas investigadas por crimes contra a Receita Federal. Estima-se prejuízos de R$ 19 bilhões com as falcatruas. O estopim para a criação da comissão foi a operação Zelotes, da PF, que investigou esquema de sonegação fiscal. Na época, a ação da PF mirou em, entre outras pessoas, no filho do ex-presidente Lula, Luís Cláudio, e de ex-ministros do governo PT Gilberto Carvalho (braço direito de Lula em suas gestões) e Erenice Guerra, de confiança da presidente Dilma Rousseff.

Uma suspeita que surgiu durante a apuração da CPI do Carf foi a negociação de Medidas Provisórias durante a gestão Lula para beneficiar lobistas e inclusive negócios de seus filhos, Luís Cláudio e Fábio Luiz, que teriam recebido repasses de alvos da operação Zelotes. À época, Lula teria agido para evitar que seu filho fosse convocado a depor.

"A ação da PF hoje que tem alvo contra Lula terá reflexos diretos na gestão do desgoverno da presidente Dilma Rousseff, que não tem mais credibilidade e muito menos moral para seguir à frente do comando do país. Isso é fato. Entretanto, analiso aqui, de forma serena, a necessidade de haver desdobramentos da apuração de outros fatos relacionados ao ex-presidente Lula. Há muito o que apurar e, ao se comprovar culpa, que sejam todos punidos", finalizou.