Polí­tica

Foto: Divulgação

O presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT) José Roque Rodrigues, afirmou em entrevista ao Conexão Tocantins que a expectativa de público na manifestação desta sexta-feira, 18, em defesa do governo da presidente Dilma Rousseff, do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e pela democracia, é de aproximadamente 2.500 pessoas, em Palmas/TO. O manifesto acontece hoje em todo o País convocado por movimentos sociais, CUT, partidos de esquerda e pela Frente Brasil Popular - que reúne mais de 60 entidades.

Segundo José Roque, a crise é por disputa de poder. "A elite brasileira está com os seus poderes ameaçados e estão disputando esse poder a qualquer custo. Jogam pro ar a questão da democracia, os espaços que a gente tem", disse. 

Ainda de acordo com o presidente da CUT, a crise na economia é reflexo da política. "A crise econômica está influenciada pela crise política, primeiro é a crise política. Grupos da elite brasileira não concordam que eles não conseguem ganhar eleição", frisou. 

Na Capital, a concentração inicia-se a partir das 16 horas ao lado do Colégio São Francisco e por volta das 17 horas inicia-se uma caminhada pela Avenida JK. 

MST

De acordo com Manoel Messias, liderança do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), aproximadamente 300 militantes do Movimento participarão da manifestação.

Segundo Messias, os militantes vão as ruas em defesa da democracia e garantia dos direitos conquistados pelos trabalhadores. “A nossa pauta é a favor da democracia”, concluiu. 

O presidente do PT no Tocantins, Júlio César Brasil, e o senador Donizeti Nogueira estarão em Palmas na manifestação. "No nosso Estado do Tocantins vamos no encontrar lá na Avenida JK, na 108 Sul. [...] Defender o Brasil, a democracia, enfrentar os ataques que estamos sofrendo cotidianamente por parte dessa direita golpista, frustrada, derrotada que não consegue chegar ao poder via voto e quer derrubar o governo da presidenta (e) Dilma", disse o senador Donizeti em vídeo transmitido pela rede social Facebook. 

A manifestação também acontece em Araguaína. A concentração inicia-se na Câmara de Vereadores a partir das 17 horas.