Educação

Foto: Divulgação A Seduc informou que após a transferência da oferta dos cursos do programa para a Seduc, foi necessária uma adequação administrativa e documental A Seduc informou que após a transferência da oferta dos cursos do programa para a Seduc, foi necessária uma adequação administrativa e documental

Professores pelo Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) e pelo Projovem Campo - Saberes da Terra, no Tocantins, estariam sem receber os seus salários há alguns meses. O professor pelo Pronatec em Arraias, Alessandro Damascena, confirmou não receber seu salário desde o mês de dezembro de 2015. Pelo Projovem Campo - Saberes da Terra, o professor José Neto disse estar há seis meses sem receber. 

Após justificativas da Diretoria de Educação Profissional da Secretaria Estadual da Educação, o professor Alessandro voltou a informar o não recebimento. "Minha documentação está em dias e não me vejo na obrigação de ter que esperar por outros que não prestaram contas de seus documentos ou não regularizaram suas pendências. Lamentável a falta de compromisso", lamentou. O professor pelo Pronatec em Arraias disse ainda que irá acionar o Ministério Público para dar adiantamento no pagamento. 

O professor pelo Projovem Campos - Saberes da Terra, José Neto, resumiu sua insatisfação. "Talvez com essa possível divulgação os responsáveis pelo programa dariam mais valorização a nós e a população em geral saberia mais sobre a realidade atual de como é tratada a educação do campo no Brasil e principalmente no Tocantins", frisou. 

Seduc explica 

A Secretaria de Estado da Educação, Juventude e Esportes (Seduc) informou ao Conexão Tocantins que o Projovem Saberes da Terra é um programa do Ministério da Educação (MEC), executado pela Seduc desde março de 2015 e atende em média 800 alunos e que, com o atraso nos repasses do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), houve atraso na segunda parcela do pagamento dos servidores-bolsistas. Segundo a Seduc, na quinta-feira, 7, o Governo Federal garantiu o repasse da segunda parcela ao Tocantins. 

Com relação ao pagamento dos professores do Pronatec, a Seduc informou que após a transferência da oferta dos cursos do programa para a Seduc, foi necessária uma adequação administrativa e documental, o que ocasionou um atraso no pagamento. Em virtude da extinção da Agetec, enquanto autarquia, a conta para os repasses do Pronatec não poderá mais ser movimentada. A Seduc disse aguardar a abertura de uma nova conta pelo FNDE, que seja vinculada à Pasta, para que os repasses possam voltar a serem feitos.