Meio Ambiente

Foto: Divulgação

Fiscais da Agência de Defesa Agropecuária (Adapec) apreenderam neste final de semana, no lago da Usina Hidrelétrica de Peixe Angical, 552 kg de pescado impróprios para o consumo. Espécies amazônicas como papa-terra, cachorra, tucunaré e caranha estavam expostas em caixas térmicas, já evisceradas (sem as vísceras), o que é considerado fora das normas sanitárias. Os peixes foram inutilizados no Aterro Sanitário do município de Peixe.

De acordo com o inspetor agropecuário Ricardo Matarazzo, da Unidade Local da Adapec de Figueirópolis, 70 kg do pescado estavam com um pescador e 485 kg com um atravessador. O destino dos peixes era um entreposto em Aliança do Tocantins e seguiria para um frigorífico no estado do Ceará. “As vísceras dos peixes só podem ser retiradas em um entreposto. Quando isso é feito no local da pescaria há risco de contaminação”, explica Ricardo Matarazzo.

Mais apreensões

Os fiscais da Adapec também acompanharam a Cipama e o Naturatins na apreensão de mais 190 kg de pescado próprios para o consumo e que, portanto, foram doados para a Assistência Social do município de Peixe.

Toda a ação ocorreu por água e terra e foi desencadeada após denúncia anônima de pesca predatória feita ao Naturatins e Cipama. De acordo com a gerente de Inspeção Animal da Adapec, Joseane Cadermatori, a parceria com os órgãos ambientais é importante no trabalho de combate ao comércio clandestino de produtos de origem animal. “A ação conjunta dos órgãos de fiscalização é fundamental para garantirmos que os produtos ofertados aos consumidores tenham procedência e qualidade”, explica.

A equipe da Adapec foi composta pelo inspetor agropecuário Ricardo Matarazzo e mais dois fiscais da Unidade Volante de Gurupi.