Educação

Foto: Divulgação Alunos e alguns professores da Escola Padre Josimo receberam atendimento médico com suspeita de intoxicação alimentar Alunos e alguns professores da Escola Padre Josimo receberam atendimento médico com suspeita de intoxicação alimentar

O Centro de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente – Cedeca Glória de Ivone, Organização Não Governamental sem fins econômicos, que funciona no Estado do Tocantins desde 2007, com a missão de defender direitos humanos de crianças e adolescentes, informou lamentar o episódio ocorrido na última quinta-feira, 28 de abril, em Palmas, em que cerca de 70 alunos da Escola de Tempo Integral (ETI) Padre Josimo, foram atendidos na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Norte, apresentando sintomas de vômitos, náuseas, tonturas, estado febril e outros após a ingestão do almoço na referida escola.   

"Como organização de defesa dos direitos humanos, nos causa estranheza que episódios deste alcance possam ser apresentados em ambientes escolares, pois em razão do grande número de alunos/as e em atenção ao Estatuto da Criança e do Adolescente e a Lei de Diretrizes e Bases da Educação, a gestão da educação deve observar os princípios da eficiência, eficácia no trato, proteção e cuidados ofertados as crianças e adolescentes", manifestou. 

Para o Cedeca, cabe à sociedade civil, solidarizar com as famílias e as crianças e adolescentes envolvidas no episódio e exigir que os fatos "sejam rigorosamente explicitados e publicizados, assim como as medidas tomadas para prevenir situações semelhantes e os encaminhamentos procedidos para responsabilizar os agentes causadores deste fato grave para que não se repitam nesta e em outras escolas públicas", sustentou.