Estado

Foto: Divulgação Senadora Kátia Abreu ao lado do presidente em exercício da CNA Senadora Kátia Abreu ao lado do presidente em exercício da CNA

A ex-ministra e senadora Kátia Abreu (PMDB) deve sofrer resistência caso tente reassumir a presidência da Confederação Nacional da Agricultura (CNA), cargo a qual está licenciada desde que assumiu o Ministério da Agricultura no ano passado. Produtores rurais de alguns estados estariam estimulando um boicote ao pagamento da contribuição sindical rural e o atual presidente da Confederação, João Martins da Silva Júnior, chegou a fazer Carta Circular na última quinta-feira, 12 de maio, endereçada aos presidentes de Federações da Agricultura Estaduais, informando sobre a questão.

João Martins informa em Carta que, visto que a próxima data de vencimento da contribuição sindical é no próximo dia 22, faz-se necessário que as Federações da Agricultura prestem informações aos produtores, de cada Estado. Segundo o presidente da CNA, "não há quaisquer possibilidade da presidente licenciada da CNA retornar ao cargo no prazo de 180 dias a partir da data do seu desligamento do cargo de ministra de Estado", informa em Carta. 

De acordo com João Martins da Silva Júnior, há um impedimento legal para que a ex-ministra assuma antes do prazo. "A Lei 12.813/2013 estabeleceu esse prazo, a título de quarentena, a ser obedecido por servidores públicos egressos de órgãos da administração pública federal, para o retorno ao exercício de funções em entidades ou empresas que atuem em áreas similares e que representem conflito de interesses. Assim, caberá à Diretoria da CNA observar as regras legais, sob pena de ser responsabilizada por ato de improbidade administrativa", informou

Em entrevista ao Norte Agropecuário, no mês de abril, o presidente da CNA, João Martins, chegou a dizer que Kátia Abreu traiu a classe ruralista. "Porque ela resolveu mudar de lado. Ela resolveu se distanciar do meio rural. Ela se desligou daquilo que no passado foi o que ajudou a construir a carreira política dela. Ela traiu a classe", disse.  

Kátia Abreu foi exonerada do cargo de ministra da Agricultura nessa quinta-feira, 12, data em que o Senado aprovou a admissibilidade do processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff. A ex-ministra Kátia Abreu deve assumir o cargo de senadora, ocupado pelo suplente Donizeti Nogueira (PT). (Matéria atualizada às 09h22min de 16/05/16)