Estado

A Associação dos Servidores do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária do Tocantins (Assincra), encaminhou nota à imprensa, criticando o envolvimento de servidores do Incra no protesto pró-Dilma em frente ao Instituto, organizado por vários movimentos e entidades sindicais. De acordo com a Associação, o ato, realizado na última ter-feira, 17, falsificou sobre a participação dos servidores. 

A associação criticou em sua nota o que chamou de informação "alardeada em vários veículos de comunicação e massivamente nas redes sociais", de que existiria um tal de “Comitê de Servidores do Incra” corroborando com o ato.

De acordo com a associação "os servidores do Incra vêm a público repudiar tal atitude de uso indevido do seu nome, para legitimar ato alheio à categoria. Esclarecemos ainda, que os servidores do órgão estão indignados com essa farsa e com o prejuízo causado à imagem da categoria que sempre se pautou por valores republicanos maiores", afirma a Assincra. 

A associação sustenta que o ato de realizar manifestações é livre, porém, "quem as organizar deve assumi-las individualmente, não outorgando a si mesmo representação inexistente".  

Confira abaixo a nota da Assincra na íntegra. 

A Associação dos Servidores do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) do Tocantins vem a público esclarecer que foi surpreendida na terça-feira pela manhã (17) por um protesto pró-Dilma, na frente do órgão, organizado por vários movimentos e entidades sindicais sob o slogan do “denunciamos os golpistas por ódio contra os pobres”. Acontece que o ato falsificou sobre a participação dos servidores, indo além dizendo em nota intitulada de “Fora Golpistas!!”, alardeada em vários veículos de comunicação e massivamente nas redes sociais, que existiria um tal de “Comitê de Servidores do Incra” corroborando com o ato, o que jamais existiu, sequer houve qualquer participação dos servidores nesse sentido. Motivo pelo qual os servidores do Incra vêm a público repudiar tal atitude de uso indevido do seu nome, para legitimar ato alheio à categoria. Esclarecemos ainda, que os servidores do órgão estão indignados com essa farsa e com o prejuízo causado à imagem da categoria que sempre se pautou por valores republicanos maiores.

Enquanto categoria funcional, somos pautados pelo espírito público e pela missão institucional da autarquia, ou seja, executar a reforma agrária e realizar o ordenamento fundiário. Individualmente, como cidadãos, os servidores são livres. Manifestações são livres. Entretanto, quem as organizar deve assumi-las individualmente, não outorgando a si mesmo representação inexistente, a qual, para existir, deve previamente submeter-se a ritos específicos, pois temos nossas representações com tradição e legalmente instituídas, a saber: Associação dos Servidores do INCRA no Estado do Tocantins (ASSINCRA-TO).

Por: Redação

Tags: Assincra, Incra