Esporte

Foto: Divulgação

Já familiarizados com as modalidades atletismo, bocha adaptada, basquete em cadeira de rodas e tênis de mesa, os paratletas do projeto Reviver têm, agora, no kickboxing outra oportunidade de manterem o corpo e a mente sãos. Por meio de uma parceria acordada entre o projeto e o Centro de Treinamento Tatame Fight, as pessoas com deficiência (PCD) assistidas pelo Reviver passarão a ter mais contato com esta arte-marcial.

A apresentação deste esporte aos paratletas aconteceu na Apae de Palmas, sede do Reviver, onde os professores Fábio Frós Mocotó e Karol Teles Tigres, além do preparador físico Victor Marciano, falaram sobre a modalidade, fizeram demonstrações de alguns golpes e ensinaram outros aos presentes. Incialmente, os treinos no Reviver vão acontecer uma vez ao mês, no sábado, sendo que o primeiro está previsto para o dia 17 de junho, a partir das 9 horas, na própria Apae, localizada na Quadra 706 Sul.

De acordo com a coordenadora do Reviver, Soraia Tomaz, a nova atividade vai colaborar com o desenvolvimento da disciplina e da auto-estima dos paratletas do projeto. “Toda arte-marcial trabalha muito a disciplina, o respeito à hierarquia, o cumprimento de normativas de forma geral e a coordenação motora dos praticantes. Além disto, eles vão aprender movimentos diferentes que, certamente, vão fazê-los se sentir mais fortes e elevar a auto-estima deles de uma forma maravilhosa”, afirma a educadora física.

Faixa preta de kickboxing, Fábio Mocotó enaltece a parceria estabelecida. “A nossa maior satisfação ao trabalhar com este público é poder confirmar que, por mais que, aparentemente, devido às deficiências, eles podem ter limitações, eles são capazes de realizar qualquer atividade. Isto nos estimula a trabalhar cada vez mais por eles. Nossos treinos vão deixá-los muito felizes; mas, sem dúvida, nós é que vamos sair mais alegres a cada atividade”, reforça o líder do Tatame Fight.

“O esporte é para todos”

Para a professora Karol Tigres, o esporte é agregador e não distingue os praticantes. “O esporte foi feito para todos, ele é liberdade e, por isto, ajuda em todas as áreas da vida, seja para se alcançar mais saúde, combater o estresse ou como uma forma diferente de diversão. Por tudo isto, nossa ligação com o Reviver vai ser muito gratificante, porque o esporte é vida e é para todos”, ressalta a faixa preta.