Economia

Foto: Divulgação

O Estado do Tocantins está habilitado para a exportação de carne industrializada (enlatada) para União Europeia, após a ampliação do número de unidades da federação aptos a comercializar a carne bovina àquele continente, que passou de 9 para 23, de acordo com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). A decisão fortalece a abertura do mercado para as exportações de carne in natura, que está sendo aguardada, desde a auditoria realizada no Estado no mês de maio, deste ano.

Apesar de o Tocantins não contar com frigoríficos que comercializam atualmente a carne enlatada, a decisão já é considerada extremamente importante, pois possibilita aos produtores tocantinenses venderem a carne bovina in natura, para as indústrias brasileiras que fabricam o produto e estão entres as 77 empresas habilitadas a exportar para os países da União Européia.

Segundo o presidente da Agência de Defesa Agropecuária (Adapec), Humberto Camelo, esta aprovação demonstra o compromisso do Governo do Estado em fomentar a economia e estimular o comércio da carne bovina. “É uma grande conquista de toda a cadeia produtiva pecuária, pois comprova a qualidade da nossa carne. Além disso, gera boas expectativas de recebermos a aprovação para a exportação da carne in natura”, ressalta.

De acordo com o superintendente federal da Agricultura no Tocantins, José Augusto Pugliese, está marcada uma reunião com os empresários de frigoríficos, nesta quarta-feira, 8, para estimular a comercialização da carne enlatada e discutir os próximos avanços. “Era um sonho antigo que agora virou realidade, pois agregará valor à carne desossada e retalhada que terá um mercado certo e nobre”, ressaltou.

Dados

Conforme informações do Ministério da Agricultura, em 2015, o Brasil exportou 104,4 mil toneladas de carne industrializada, o que gerou uma receita de US$ 633,58 milhões.

Até a recente ampliação da UE, os estados autorizados eram São Paulo, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Sul, Paraná, Santa Catarina e Espírito Santo. Agora também fazem parte da lista o Distrito Federal, Acre, Rondônia, Pará, Tocantins, Maranhão, Piauí, Bahia, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas e Sergipe.