Polí­tica

Foto: Divulgação

De acordo com sondagem realizada pelo Conexão Tocantins nesta quinta-feira, 7, a maioria dos deputados do Estado pretendem votar na chapa liderada pelo parlamentar Mauro Carlesse (PSH), na eleição dessa sexta-feira, 8 de julho, para a presidência da Assembleia Legislativa do Tocantins. O deputado Carlesse enfrenta na disputa o atual presidente da Casa, Osires Damaso (PSC). 

Confirmaram ao Conexão Tocantins que votarão em Mauro Carlesse amanhã: José Roberto Forzani (PT), Eduardo Siqueira Campos (DEM), Jorge Frederico (PSC), Nilton Franco (PMDB), José Bonifácio (PR), Wanderlei Barbosa (SD). Além de Cleiton Cardoso (PSL) e da deputada Luana Ribeiro (PDT) que comporá como primeira vice-presidente na chapa de Carlesse. 

Um deputado carlessista afirmou ao Conexão Tocantins que os deputados Olyntho Neto (PSDB), Júnior Evangelista (PSC), Eduardo Bonagura (PPS), Eli Borges (PROS), Ricardo Ayres (PSB), Toinho Andrade (PSD) e a deputada Amália Santana (PT) também devem votar em Carlesse e com isto estariam garantidos 16 votos contando o voto do próprio Mauro Carlesse. 

Confirmaram ao Conexão Tocantins, voto em Osires Damaso (PSC): Paulo Mourão (PT), Elenil da Penha (PMDB), Rocha Miranda (PMDB) e Vilmar de Oliveira (SD). Valdemar Júnior (PMDB) também estaria certo para apoio a Osires Damaso, somando-se assim 6 votos contando o voto do próprio presidente candidato à reeleição. 

Do total dos 24 parlamentares da Casa de Leis do Estado, apenas o deputado Amélio Cayres (SD) disse que ainda não definiu voto para eleição de amanhã e Valderez Castelo Branco (PP) não quis comentar.  

Osires Damaso 

O Conexão Tocantins entrou em contato com o deputado e atual presidente da Casa de Leis, Osires Damaso, para saber se ele pretende continuar na disputa pela mesa mesa diretora ou se vai retirar a candidatura e o mesmo informou estar "animado", mas lamentou o fato dos deputados de seu próprio partido, do PSC, votarem no Mauro Carlesse. "Fiquei triste em ter as pessoas do meu partido votando no outro candidato, mas eleição de mesa é assim mesmo", desabafou. 

Para Osires, tudo ainda pode mudar. "Eleição de mesa é assim mesmo, até na última hora pode mudar as coisas", concluiu.