Polí­cia

Foto: Divulgação O suspeito conhecia Edymar e o crime teria sido por motivação sexual O suspeito conhecia Edymar e o crime teria sido por motivação sexual

O titular da Delegacia de Divisão de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP), João Jorge Kenupp, ouviu na tarde desta sexta-feira, 15, suspeito de ter matado o cabeleireiro e travesti Edymar Mesquita Leão (nome social Edymara), 36 anos. O crime aconteceu na casa da vítima, na 307 Norte, em Palmas. Segundo informações preliminares, o suspeito conhecia Edymar e o crime teria tido motivação sexual.

O crime aconteceu na última segunda-feira, 11, mas o corpo de Edymar só foi encontrado na quarta-feira (13), já em estado de decomposição, depois que vizinhos acionaram a polícia por causa do forte cheiro que exalava. Ele foi encontrado na cozinha, vestido apenas com roupão e com uma corda amarrada no pescoço e em uma janela.

A Defensoria Pública do Estado manifestou repúdio pela morte de Edymar e informou que irá contribuir para que a Justiça seja feita no caso. Segundo a Defensoria, o preconceito e a discriminação resulta em crimes violentos contra travestis.