Saúde

Foto: Heitor Iglesias

As hepatites virais são doenças causadas por vírus que afetam o fígado. Nesta quinta-feira, 28, Dia Mundial de Combate às Hepatites Virais, a Secretaria de Estado da Saúde chama a atenção para os sintomas das hepatites e às recomendações de prevenção dessas doenças.

Em números gerais, no Tocantins, entre as formas mais comuns das hepatites, somente a hepatite A apresentou crescimento no número de casos nos últimos dois anos. Foram confirmados 255 casos em todo o Estado em 2014. No ano seguinte, 295 casos foram confirmados. A principal forma de transmissão da hepatite A é oral-fecal, pela água ou alimentos contaminados pelo vírus.

Com relação à hepatite B e C, transmitidas pelo contato com sangue contaminado ou por relações sexuais desprotegidas, diminuíram os casos confirmados no Tocantins no mesmo período. Em 2014, foram confirmados 153 casos de hepatite B, enquanto no ano seguinte, 100 casos foram confirmados. Com relação à hepatite C, foram confirmados em todo o Estado 57 casos em 2014 e 40 casos no ano seguinte.  “Essa queda significa apenas que precisamos diagnosticar mais. Quanto antes são diagnosticados os portadores de hepatites B e C mais eficaz será o tratamento, evitando que esse paciente evolua para uma cirrose ou carcinoma”, explica Viviane Araújo, assessora técnica das Hepatites da Gerência Estadual das DST/AIDS e Hepatites Virais.

Investindo em diagnósticos

Por isso, a gerente estadual de DST/AIDS e Hepatites Virais, Caroline Biserra, reforça a importância da prevenção e a testagem para o diagnóstico dessas doenças. “Nossa preocupação é garantir acesso ao diagnóstico e tratamento principalmente para as pessoas com mais de 40 anos, público que não teve menor acesso à testagem para hepatite C antes de 1993”, completa a gerente. Para realizar os testes rápidos, basta uma gota de sangue coletada de um dedo da mão e o resultado está disponível em 15 minutos.

E para garantir que mais casos sejam diagnosticados e tratados precocemente, a secretaria vem investindo na oferta de capacitações e atualizações por webconferência para profissionais da atenção básica e vigilância dos 139 municípios, onde todas as unidades básicas de saúde já possuem referência para realização ou encaminhamento de pacientes para realização de testes rápidos, assim como nos Serviços de Assistência Especializada (SAE) instalados em Palmas, Araguaína, Gurupi, Paraíso do Tocantins e Porto Nacional.

Vale ressaltar que qualquer pessoa com cansaço, tontura, enjoo e/ou vômitos, febre, dor abdominal, pele e olhos amarelados, urina escura e fezes esbranquiçadas deve procurar um serviço de saúde para investigação dos sintomas. “Por se tratar de uma doença silenciosa, é importante consultar-se com um médico regularmente e fazer exames de rotina que detectam todas as formas de hepatites virais. O diagnóstico precoce amplia a eficácia do tratamento”, completa Viviane Araújo.

Prevenção

Atualmente, o Sistema Único de Saúde (SUS) disponibiliza gratuitamente vacina conta a hepatite A e B em qualquer unidade básica de saúde, sendo a vacina de hepatite A indicada para crianças de um a dois anos de idade e a vacina contra hepatite B indicada para administração já após o nascimento do bebê e para adultos com até 49 anos e 11 meses e 29 dias. 

Gestantes, trabalhadores da saúde, bombeiros, policiais, manicures, populações indígenas, doadores de sangue, gays, lésbicas, travestis, e transexuais, profissionais do sexo, usuários de drogas e portadores de DST também têm acesso à vacina, cujo esquema prevê três doses.

Para prevenir as hepatites virais:

·        Ao manipular ou preparar alimentos crus recomenda-se lavar bem as mãos usar água tratada corrente para higienizar os alimentos; 

·        Procurar a unidade de saúde mais próxima para verificar se seu esquema vacinal contra Hepatite está completo ou atualizar seu cartão de vacina, se necessário;

·        Recomenda-se o uso de preservativos em todas as relações sexuais;

·        Não compartilhar objetos cortantes e de higiene pessoal como lâminas de barbear e depilar, alicates de unha escova de dentes;

·        Também é importante não compartilhar seringas, agulhas, cachimbos e usar matérias descartáveis e esterilizados para realização de tatuagens, colocação de piercings e acupuntura.