Estado

Foto: Divulgação

Mediante a proximidade das eleições municipais, a Associação dos Praças Militares do Estado do Tocantins (APRA-TO) havia decidido, através de proposta votada e aprovada pelos associados na Assembleia Geral realizada no dia 11 de junho do corrente ano, que o candidato a vereador a ser apoiado pela entidade seria escolhido por meio de plebiscito. A convocação para o processo de consulta que resultaria na escolha do candidato foi realizada e amplamente divulgada no dia 27 de julho e o plebiscito foi marcado para acontecer na última sexta-feira (5). No entanto, segundo a Apra, após contato com todos os militares associados candidatos ao pleito, a maioria optou por não participar do plebiscito informando suas razões ao presidente da Associação.

Dentre os candidatos associados contactados pela APRA-TO apenas o Sargento Sales se propôs a participar do plebiscito. O presidente da entidade, João Victor Moreira, ressalta que foi procurado por outro militar pretenso a candidato pedindo para participar do plebiscito, mas conforme decisão da assembleia só associados poderiam participar do processo de consulta e a solicitação do referido militar não foi atendida. Desta forma, a APRA-TO informa apoio ao candidato a vereador SGT Sales.

Conheça um pouco sobre o candidato que será apoiado pela APRA-TO:

SGT Sales ingressou na PMTO em 1994, foi promovido à Cabo em 2010, após conclusão do CHC/2010, foi promovido à 3º Sargento em 2012, à 2º sargento em 2014 e despromovido em 2015 voltando ao posto de 3º sargento. Foi diretor de comunicação da antiga Associação dos Cabos e Soldados, hoje APRA-TO, função através da qual sofreu grandes perdas na carreira profissional por atuar em defesa do interesse coletivo. O militar chegou a responder processos judiciais contra a administração militar e contra a hierarquia militar, acusado de incitar a tropa contra o Comando, e foi penalizado com prestação de serviços pela justiça militar. Participou da greve da PMTO em 2001. Entre o período de 2009/2010 foi transferido três vezes. Nunca gozou de imunidades, mas sempre defendeu os interesses coletivos acima de tudo. Em pleitos anteriores sempre apoiou os candidatos da Associação e agora como candidato não se eximiu e se colocou à disposição para participar do plebiscito.