Polí­tica

Foto: Divulgação Para Valderez, os servidores devem entender a crise que está no Tocantins Para Valderez, os servidores devem entender a crise que está no Tocantins

A greve geral dos servidores públicos do Estado gerou discussão entre deputados na sessão desta terça-feira, 9 de agosto. Para José Roberto Forzani (PT), a paralisação traz preocupações para todos os tocantinenses que usam os serviços públicos. “Nós já estamos há quase dois anos do mandato do governador (Marcelo Miranda) que tem demonstrado, e essa greve reflete, uma total incapacidade de discutir e decidir, de tomar um rumo junto aos servidores”, afirmou.

Para o deputado, o Governo do Estado precisa dialogar com o servidor público e ter capacidade para resolver os problemas. “Se o Estado não tem capacidade de cumprir com o plano de carreira, com a data-base, precisa de tomar uma decisão junto aos servidores, negociando e resolvendo esse problema. Uma greve geral nesse momento trará grande prejuízo a nossa população”, frisou. Para Forzani, não basta ficar fazendo reuniões.

Elenil da Penha (PMDB) reforçou que o Governo do Estado deve tomar providências o quanto antes. “Se as coisas não estão boas na saúde, se estamos enfrentando problemas na segurança, se estamos enfrentando tantos e diversos outros problemas, imagine com a greve. Imagine o estado de caos que nós vamos avançar diante de uma greve”, pontuou.

Os deputados pediram aos líderes do Governo na Casa, a exemplo a deputada Valderez Castelo Branco (PP), que dialoguem com o Governo do Tocantins para solucionar o impasse. Na tribuna, Valderez disse que em nenhum momento o Governo do Estado deixou de dialogar com os servidores. "No entanto, é preciso ter consciência que a condição financeira de todos os estados do País está muito ruim nesse momento e inclusive o Tocantins é um dos poucos estados que está pagando os seus servidores até o dia 10", afirmou. 

Para Valderez, outros estados já não estão dando conta de pagar a data-base dos servidores. "A maioria dos estados como o Rio de Janeiro, Minas Gerais, Pernambuco, Roraima e outros já estão atrasando o próprio pagamento dos servidores e quase nenhum deles está pagando a data-base de 2015 e o Estado já está quase liquidando 2015", informou. Para Valderez, o Governo do Tocantins já pagou boa parte da data-base de 2015.

A deputada pediu sensibilidade dos servidores. "Os servidores não são apenas servidores, são munícipes, são estadistas também e devem fazer o seu papel e entender a crise que está no Tocantins", pediu.