Cultura

Foto: Aldivan nogueira

O mundo celebra o Dia Internacional dos Povos Indígenas nesta terça-feira, 9 de agosto. A data foi instituída pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). Comemorada há 17 anos, o dia foi criado com o empenho e a participação de indígenas de vários continentes, é fruto de uma conquista para a visibilidade internacional necessária para a defesa da integridade física e cultural que circundam esses povos.

A Organização das Nações Unidas (ONU) já se manifestou sobre a data, com ponderações alarmantes sobre as comunidades tradicionais. Segundo um grupo de quatro especialistas da organização para os direitos indígenas, crianças e jovens indígenas ainda não têm total acesso a formas adequadas de educação.

Os especialistas pediram que os governos garantam sistemas educacionais livres de discriminação e culturalmente sensíveis aos povos indígenas, levando em conta suas línguas e suas histórias.

Eles também requerem aos governos para “trabalhar com os povos indígenas em um espírito de parceria para retomar formas de educação baseadas nas línguas, crenças, valores e culturas indígenas e aumentar os esforços de combate à discriminação na educação que têm o efeito de impedir o acesso dos povos indígenas”.

Na Câmara

A data também será celebrada pela Comissão de Direitos Humanos e Minorias. O colegiado promove um evento no auditório Nereu Ramos da Casa legislativa. O evento deverá discutir a pauta de proposições que afetam os povos indígenas.

“No caso brasileiro, o Dia Internacional dos Direitos Humanos é importante referência para os cerca de 850 mil indígenas que habitam o território nacional, divididos em mais de 200 etnias”, defende o deputado Padre João (PT-MG), citando dados do censo demográfico do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), realizado em 2010. 

Tocantins 

No Tocantins, são cerca de 15 mil indígenas distribuídos em 144 aldeias de oito etnias: Karajá, Xambioá, Javaé, Xerente, Krahô, Krahô Kanela, Apinajé e Avá Canoeiros. (Com informações da CNM)