Educação

Foto: Divulgação Servidores em greve no município de Guaraí Servidores em greve no município de Guaraí

Em greve desde o último dia 10, os trabalhadores da rede estadual de educação tem ganhado adesão ao movimento, segundo informação do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado do Tocantins (SINTET). Para o sindicato, a adesão é reflexo das mobilizações que acontecem em todo o Estado.

Nesta última quinta-feira, 18, em Araguaína aconteceu um “Ato Público Contra o Calote” realizado pelo movimento grevista que reuniu as diversas categorias em greve geral, entre elas a Educação.

Também foram registrados atos públicos nas cidades de Filadélfia, Augustinópolis, Tocantinópolis, Miranorte, Guaraí, Pedro Afonso, Colmeia, Goianorte, Paraíso do Tocantins, Araguacema e Dianópolis.

Na capital, Palmas, os trabalhadores em educação continuam concentrados em frente à Secretaria Estadual da Educação (Seduc) e organizam ato público nesta sexta-feira. Segundo o sindicato há dificuldades das escolas fecharem 100% devido ao alto número de contratos nas escolas, principalmente no interior do Estado, mas com persistência o movimento tem ganhado força.

Para o Sintet, o fortalecimento do movimento grevista depende da participação de todos os trabalhadores. “Lutamos por direitos em comum, não dá pra um grupo sair para o campo de batalha enquanto outros apenas cruzam os braços, ou até mesmo resistem ao movimento. A greve foi aprovada em assembleia segundo a vontade da maioria, e é importante ressaltar esta união. Sem união não há persistência”, disse José Roque.

Mesmo após a reunião com os deputados estaduais que buscam intermediar o acordo entre sindicalistas e o comitê gestor, o governo continua inerte, segundo o sindicato. “Não basta dizer que não tem como pagar a data-base. É preciso cortar na carne e isso se vê claramente que o governo não está fazendo”, acrescenta José Roque.