Estado

Foto: Washington Luiz O secretário-geral de Governo e Articulação Política e presidente do Comitê Gestor, Lyvio Luciano (E), garantiu que uma proposta sobre o pagamento da data-base será apresentada na semana que vem O secretário-geral de Governo e Articulação Política e presidente do Comitê Gestor, Lyvio Luciano (E), garantiu que uma proposta sobre o pagamento da data-base será apresentada na semana que vem

O Comitê Gestor do Governo do Estado reuniu-se nesta quarta-feira, 31, no Palácio Araguaia, com representantes de entidades sindicais integrantes da Federação dos Sindicatos dos Servidores Públicos do Tocantins (Fesserto). Esse é o quinto encontro dos representantes do Governo com o dos servidores, o que deixa clara a posição do Estado em manter o diálogo, antes e depois do início da greve. Na ocasião, o secretário-geral de Governo e Articulação Política e presidente do Comitê Gestor, Lyvio Luciano, e o secretário de Estado do Planejamento e Orçamento, David Torres, garantiram que uma proposta sobre o pagamento da data-base será apresentada na semana que vem.

Durante a reunião, os secretários explicaram as dificuldades financeiras pelas quais o Estado vem passando, ressaltaram que o Governo do Estado está aberto ao diálogo e que a gestão está ciente e vem adotando várias medidas para contenção de custos sem que isso afete a qualidade dos serviços públicos oferecidos à população. “É necessário ressaltar que o Governo não está parado e inerte diante da greve. Estamos dialogando com os sindicatos e estudando as medidas que precisam tomadas para o equilíbrio das contas públicas e cumprimento das nossas obrigações. Tivemos uma prévia que aponta que deve haver uma redução no percentual folha de pagamento/receita, o que nos abre uma perspectiva de fazer a proposta”, disse Lyvio Luciano.

“O governador Marcelo Miranda nos exigiu uma definição sobre a greve e estamos trabalhando para apresentar uma proposta coerente com a nossa realidade. É preciso ressaltar que, somente neste ano, tivemos uma frustação de receita que gira em torno de 15%. Com a crise financeira, vários estados do País não estão pagando a data-base. Em razão disso, o Governo está formatando uma proposta realista na qual tenha a capacidade para cumprir”, ressaltou David Torres.

Para o presidente da Fesserto, Carlos Augusto de Oliveira, o Governo do Estado tem se mostrado aberto para o diálogo com as entidades representativas. “Por esta razão, os sindicatos e associações que integram a Fesserto não aderiram ao movimento paredista do Musme [Movimento de União dos Servidores Civis e Militares do Tocantins]. Esta é a quinta reunião que estamos participando e o Governo deste o início vem sinalizando que está querendo negociar e fazendo as tratativas necessárias. Saímos daqui confiantes na proposta que está sendo prometida para ser apresentada”, concluiu.

Negociações

Nessa terça-feira, 30, o Governo do Estado divulgou nota afirmando que o diálogo é o melhor caminho para solucionar as demandas apresentadas pelas entidades representativas. 

A nota diz ainda que o Governo do Tocantins está otimista com o andamento dos trabalhos e acredita que, com bom senso, respeito e serenidade, será possível restabelecer o pleno funcionamento dos serviços públicos do Estado e garantir condições para a efetivação dos direitos do funcionalismo público estadual que o governo jamais deixou de reconhecer.