Estado

Foto: Ademir dos Anjos O trabalho foi apresentado na noite dessa quarta-feira, na Fieto, em Palmas O trabalho foi apresentado na noite dessa quarta-feira, na Fieto, em Palmas

Um dos elementos mais importantes para o desenvolvimento do Tocantins, a infraestrutura logística foi o foco de encontro realizado na noite dessa quarta-feira, 31, pela Federação das Indústrias do Estado do Tocantins (Fieto), em Palmas. Proprietário da empresa Macrologística, Olivier Girard, veio ao Estado para apresentar o Projeto Microeixos de Transportes de Cargas do Estado do Tocantins, resultado de um estudo coordenado pela Universidade Federal do Pará (UFPA) com o apoio da Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia (Sudam).

O trabalho foi realizado como o objetivo de identificar quais projetos de infraestrutura de transporte do Estado apresentam maior potencial de geração de ganhos econômicos, sociais e ambientais, possibilitando definir a prioridade de implantação. Está relacionado ao Projeto Norte Competitivo, desenvolvido pela Ação Pró Amazônia em 2010, com  apoio da Confederação Nacional das Indústrias e das nove Federações das Indústrias, voltado à identificação dos Eixos de Transporte e Integração competitivos, para movimentar mercadorias pela Amazônia Legal, hoje um dos maiores desafios logísticos do país.

Representando o governador Marcelo Miranda, o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia, Turismo e Cultura, Alexandro de Castro, enfatizou o empenho do Governo em fortalecer a infraestrutura logística, levando em conta o potencial do Tocantins em se tornar um importante eixo de integração do Brasil. Também destacou a importância do trabalho em torno dos microeixos, no que tange a identificação das cadeias produtivas e as alternativas para agilizar o escoamento da produção.  “Estudos e projetos como este apresentado se alinham às estratégias do Governo e são essenciais não só para o Estado dar continuidade aos seus projetos de infraestrutura, mas para o empresariado”.

De acordo com a Fieto, trata-se de um importante subsídio ao poder público e à iniciativa privada para a concepção de planos e investimentos que resultem em soluções e  superação dos obstáculos ao desenvolvimento socioeconômico da indústria e da região. Segundo o presidente da instituição, Roberto Pires, os próximos trabalhos a serem desenvolvidos são os planos estratégicos de Desenvolvimento Industrial, de Energia, de Capacitação de mão-de-obra e de Comunicação e Tecnologia.

Micro e macroeixos

O estudo elencou 30 projetos prioritários a serem executados no Estado, sendo treze deles pertencentes à categoria de microeixos estratégicos e outros

17 projetos referentes à categoria dos macroeixos estruturantes e microeixos alimentadores e integradores. Os 30 projetos prioritários do Tocantins demandam um investimento total R$ 4,4 bilhões.

Dentre os projetos, oito são pertencentes ao modal hidroviário. Estes projetos, conforme o Estudo, correspondem a 80,1% da demanda por investimentos, em função dos altos custos das eclusas a serem construídas na Hidrovia do Tocantins. Quanto aos demais projetos, 21 são relacionados ao modal rodoviário,  e um, ao ferroviário, representando, juntos, 19,9% dos investimentos necessários.

Por: Redação

Tags: Alexandro de Castro, Fieto, Olivier Girard