Estado

Foto: Divulgação Carlos Campos afirma que a categoria é essencial ao desenvolvimento do Estado Carlos Campos afirma que a categoria é essencial ao desenvolvimento do Estado

O presidente do Sindicato dos Auditores Fiscais da Receita Estadual do Tocantins (Sindifiscal), Carlos Campos, ressaltou nesta quarta-feira, 21, Dia do Auditor Fiscal, a relevância do serviço prestado pelos auditores da Receita Estadual. “Esta é uma categoria forte, resiliente, essencial ao desenvolvimento do Estado. Nossa luta é para que esse reconhecimento se apresente em forma de melhores condições de trabalho e respeito por parte do Governo para que possamos desempenhar nossas atribuições de forma a maximizar a arrecadação tributária”, disse.

Segundo Campos, apesar de prevalecerem os impasses sobre a pouca estrutura nas unidades de fiscalização e a falta de policiamento para acompanhar o trabalho do fisco, os auditores da Receita Estadual mantém o alcance de marcas expressivas na arrecadação.

Recentemente o sindicato apresentou um levantamento que tem como base um recorte de 17 anos de arrecadação do ICMS, de 1997 até 2015, mostrando a evolução dos índices, que apresentam a média de crescimento anual de 15,50%, mantida apesar da instabilidade econômica vivida no País. O Tocantins é o segundo Estado que mais evolui a arrecadação, perdendo apenas para o Maranhão, segundo o Conselho Nacional de Política Fazendária.

Para Carlos Campos, os números devem ser atribuídos, principalmente, à dedicação dos auditores. “Muitas pessoas nem se dão conta, mas o auditor não cessa o seu trabalho diário de combater a sonegação fiscal e buscar os recursos que garantem ao Estado condições de ofertar saúde, educação, segurança e infraestrutura”, refletiu.

O auditor e a história

O trabalho do auditor fiscal é essencial para a gestão financeira da administração pública. O ofício de um servidor que garante recursos financeiros para custear os serviços que atendam a população, não surgiu com as formas de administrações modernas. O dia do auditor fiscal, em vários estados, remete aos tempos bíblicos, quando Mateus, discípulo de Jesus Cristo desempenhava a função de arrecadador de impostos e atuava em uma alfândega, citada nos evangelhos. Inclusive, era na alfândega que Mateus estava quando foi convidado para seguir o messias. No calendário da Igreja Católica, 21 de setembro celebra o dia de são Mateus e por isso também é dia de homenagear os auditores fiscais, segundo informação do sindicato.