Estado

Foto: Divulgação

Em reunião durante a manhã desta sexta-feira, 14, os sindicatos que compõem o Movimento de União dos Servidores Públicos Civis e Militares do Estado do Tocantins (MUSME), deliberaram novas ações para pressionar o Governo do Estado a pagar a data-base.

Em uma das ações e na tentativa de quebrar o silêncio do governo, os dirigentes sindicais irão na próxima terça-feira, 18, tentar um diálogo com o Comitê Gestor Estadual no intuito de buscar uma posição sobre a proposta de pagamento da data-base protocolada pelo Musme, no último dia 27.

Conforme a deliberação, os representantes dos sindicatos só desocuparão o Palácio Araguaia quando forem recebidos e com um posicionamento do governo sobre a proposta do Musme.

Outra ação definida é uma panfletagem, na avenida JK e na avenida Tocantins (Taquaralto), que será realizada na quinta-feira, dia 20 deste mês, onde o material gráfico esclarecerá a população do porquê do movimento paredista.

Impeachment 

Outro ponto levantado e discutido entre os integrantes do Musme, hoje durante a reunião, é o ingresso do pedido de impeachment do governador Marcelo de Carvalho Miranda.

O assunto foi levantado pelos servidores grevistas do quadro geral e colocado em discussão com os outros integrantes do MUSME.

De acordo com o presidente do Sintras, impeachment é um assunto que deve ser analisado. “Esta pauta vou levar para a reunião da diretoria executiva do sindicato discutir e deliberar no próximo dia 27”, disse Manoel Pereira de Miranda.

Ele frisa ainda que só após essa reunião e ouvir a opinião da diretoria que o sindicato irá posicionar sobre o assunto.

Grevistas 

Após a reunião do Musme, a direção do Sintras conversou com os grevistas na concentração frente a secretaria da administração do Estado.

Na ocasião, o presidente Manoel Miranda, pontuou sobre as deliberações do Musme e comunicou a base sobre as ações. “Essas são ações definidas para a próxima semana, mas virão outras para realizarmos até que o governo pague o que é nosso de direito”, reforçou ele.

Ele também informou aos grevistas que a medida que forem deliberadas novas ações comunicará a base para organização da categoria.

Concentração

Manoel Miranda pontuou ainda que as concentrações continuarão somente nas terça-feira, quarta-feira e quinta-feira, das 8 às 12h, juntamente com os outros integrantes do Musme. No caso de Palmas na Assembleia Legislativa.

Da mesma forma deve acontecer nos municípios do interior, onde há concentração. Se outros sindicatos decidir por fim na concentração de seus sindicalizados, a direção do Sintras orienta aos seus filiados e representados procurarem a direção do sindicato, na sede central em Palmas, para reorganização da concentração.  

A proposta do Musme protocolada dia 27 de setembro foi a seguinte:

1) implementar 50% do índice da data-base 2016, na folha de pagamento de outubro de 2016;

2) implementar os outros 50% do índice da data-base 2016, na folha de pagamento de janeiro de 2017;

3) pagar os retroativos da data-base 2015, no exercício de 2017, iniciando na folha de janeiro;

4) pagar os retroativos da data-base 2016, no exercício de 2017, iniciando na folha de janeiro.

Por: Redação

Tags: Data Base, Greve, Musme