Cultura

Foto: Divulgação

Atividades como pintar quadros, enfeitar caixas, desenhar, pintar, fazer colagens e modelar são apenas alguns exemplos de práticas artísticas utilizadas pelos terapeutas do Centro de Reabilitação Nossa Senhora de Lourdes (CRNSL), em Palmas (TO), nos diversos tratamentos que oferecem a pacientes com deficiência física e intelectual.

Para que mais pessoas conheçam a importância da arte como ferramenta na reabilitação e estimular a reflexão da sociedade sobre a verdadeira inclusão cultural, o Instituto Nossa Senhora de Lourdes (INSL) realizará sua II Mostra de Arte, evento cuja abertura será na próxima quarta-feira, 14 de dezembro.

A mostra é gratuita e ficará aberta ao público até o dia 21 de dezembro, das 8h às 18h, na sede do INSL (106 Sul, Alameda 2, Casa 30). O coordenador do CRNSL, Calimério Neto, explica que os trabalhos são simples, mas que, dependendo do grau de dificuldade imposto pelo tipo de patologia, as obras podem ser consideradas uma surpresa. “O nosso acervo é grande e queremos que mais pessoas conheçam as potencialidades dos nossos pacientes. É também mais uma maneira de trabalhar a autoestima deles”, completou.

A Importância da Arte 

De acordo com a terapeuta ocupacional Ravella Pacheco, a arte é uma ferramenta importantíssima para a evolução do paciente. “Sabemos que a arte estimula a conectividade, a atenção e a estabilidade emocional”, explicou.

Ravella conta ainda que o uso do lúdico no tratamento facilita a inserção do paciente no meio social com o estímulo da criatividade e o aumento da autoestima. “Com essa experiência, eles encontram novas possibilidades, exercitam seu potencial e ampliam as perspectivas de inclusão social”, ressaltou.

Para Celma Borges, mãe de João Victor, 15 anos, que faz tratamento gratuito  no CRNL há mais de nove anos, a terapia é uma forma de alívio e bem-estar. “Quando meu filho começou aqui, aos seis anos, eu não tinha nenhuma noção de que um dia poderia ver um trabalho artístico dele”, lembrou.

João Victor tem Síndrome de Asperger e, ao longo dos anos, recebeu atendimentos integrados nas áreas de terapia ocupacional, psicologia e fonoterapia. Atualmente ele faz parte das aulas de hidroginástica do Projeto Sinergia, mantido pela Associação Nossa Senhora de Lourdes (ANSL).

Celma complementa que é bastante satisfatório ver o resultado das terapias. “Eu sei do esforço que ele teve para criar a obra e, mesmo que pareça simples para as outras pessoas, é lindo poder ver a criatividade do meu filho”, finalizou.