Educação

Foto: Marcio Vieira Neusa Souza é aluna da EJA e está otimista com a mudança na grade curricular. Neusa Souza é aluna da EJA e está otimista com a mudança na grade curricular.

Garantir a permanência do aluno trabalhador em sala de aula, além de oportunizar aos educandos o acesso a conhecimentos fundamentais para o mundo do trabalho. Esse é o objetivo da Secretaria de Estado da Educação, Juventude e Esportes com a renovação da estrutura curricular da Educação de Jovens e Adultos (EJA).

A partir de agora, os alunos da EJA, passam a ter em sua grade curricular a disciplina Mercado e Trabalho, visando uma ampla formação do indivíduo. Segundo a gerente da Educação de Jovens e Adultos, Nelzirée Venâncio da Fonseca, a nova disciplina irá proporcionar aos educandos o acesso a conhecimentos fundamentais para sua inserção no mercado de trabalho e o fortalecimento da autoestima frente às tomadas de decisões na vida profissional.

Com conteúdos que abordam o Mercado Local, à procura do Primeiro Emprego, Empreendedorismo e Geração de Renda, a nova disciplina busca preparar o aluno da EJA para ser protagonista de sua história. “O princípio metodológico dessa disciplina é promover o diálogo na sala de aula, seja entre os alunos ou destes com o professor. É fundamental que o aluno assuma a responsabilidade pela obtenção de seu próprio conhecimento sem perder de vista o papel da escola”, afirmou Nelzirée.

Cursando o ensino médio aos 50 anos, por meio da EJA, Neusa Souza ficou entusiasmada ao saber da nova disciplina. “Parei de estudar na 5ª série no ano de 1982, voltei para a sala de aula só em 2014, com o objetivo de terminar os estudos e ingressar na faculdade. Hoje, mesmo com problemas na coluna, preciso fazer faxina para trabalhar, saber que a EJA irá me auxiliar a tomar novos rumos em relação ao trabalho é ótimo. Assim terei grandes chances de garantir um serviço melhor”, disse.

Em 2017 serão ofertadas cerca de 15 mil novas vagas para EJA em todo o Estado. No Tocantins alunos que concluem o ensino médio por meio da EJA, são na sua maioria homens, 55%, cerca de 60% ficaram até 5 anos fora da escola. Esses alunos buscam na EJA, um lugar de aprendizagem, um caminho para cursar a universidade, além de conquistar uma vaga no mercado de trabalho e melhoria na qualidade de vida.

 Alterações nas Estruturas Curriculares em 2017

Foram aprovadas pelo Conselho Estadual de Educação (CEE) as estruturas curriculares para o ano letivo de 2017 propostas pela Secretaria de Estado da Educação, Juventude e Esporte (Seduc).  As novas estruturas priorizam o fortalecimento das práticas pedagógicas visando à melhoria do processo ensino e aprendizagem impactando positivamente na vida escolar de cerca de 180 mil alunos das 515 escolas estaduais do Tocantins.